0

Você não possui itens no carrinho de compras.

Voltar para a Home do Blog

Sarah Sjöstrom: a melhor velocista do mundo na atualidade

Sjöstrom lidera o ranking mundial em quaro provas - Foto de Francois Xavier/AFP/Getty Images

Sjöstrom lidera o recorde mundial em quatro provas – Foto de Francois Xavier/AFP/Getty Images

Nos últimos dois anos apenas duas nadadoras monopolizaram as tradicionais escolhas do prêmio de melhor do mundo. Katinka Hosszu e Katie Ledecky eram os nomes na ponta da língua de qualquer especialista para a escolha da premiação. A Federação Internacional de Natação elegeu em 2015 e 2016 a Dama de Ferro como a melhor do mundo e deu a Ledecky o prêmio de melhor performance. A americana também foi nomeada nestes dois anos pela tradicional revista Swimming World como a melhor da temporada.

Escolhas inquestionáveis, afinal nenhuma outra nadadora atingiu o patamar das duas atletas. Porém, em 2017 a dupla começa a ver um novo nome surgir como candidata para premiação ao fim da temporada: Sarah Sjöstrom. O primeiro semestre da velocista sueca vem sendo incrível. Absoluta no borboleta, detém os recordes mundiais nos 50m e 100m, ela também esta cada vez mais dominante as provas de livre e por poucos centésimos não superou as marcas mundiais nos 50m e 100m na última semana durante o Mare Nostrum.

Sueca ficou a 10 centésimos do recorde - Foto: Fina/Divulgação

Sjöstrom vem dominando a velocidade da natação internacional – Foto: Fina/Divulgação

Sjöstrom esteve em ação nas três etapas do circuito (Monte Carlo, Barcelona e Canet) sendo de longe a melhor atleta do evento com 100% de aproveitamento: 12 provas disputadas, 12 medalhas de ouro e 12 novos recordes de campeonato. Uma campanha impressionante, ainda mais que houve pouco tempo para descansar entre uma etapa e outra. Chama a atenção também a regularidade da sueca nadando sempre próximo aos recordes mundiais e suas melhores marcas pessoais.

Na última etapa, em Canet, a sueca fez sua melhor campanha no circuito. Por muito pouco não bateu o recorde mundial dos 100m livre ao completar a prova em 52s08, apenas dois centésimos acima da marca de Cate Campbell e nos 50m livre cravou 23s85 terminando 12 centésimos acima do recorde mundial de Britta Steffen estabelecido ainda na era dos trajes tecnológicos. No borboleta seus melhores resultados no Mare Nostrum foram 24s76 em Barcelona e 55s76 em Canet, próximos de suas melhores marcas pessoais.

O que chama a atenção no desempenho de Sjöstrom nesta temporada é sua regularidade. No Mare Nostrum a velocista nadou sempre na casa dos 23 segundos nos 50m livre, 52 segundos nos 100m livre, 24 segundos no 50m borboleta e entre 55 e 56 segundos nos 100m borboleta. Aliás, a sueca é a única nadadora este ano a nadar os 50m livre abaixo dos 24 segundos, os 50m borboleta abaixo dos 25 segundos e os 100m borboleta abaixo dos 56 segundos.

Sarah Sjostroem vibra com mais um recorde - Foto: Christophe Simon/AFP/Getty Images

A sueca chegará com muita moral ao Mundial de Budapeste-2017 – Foto: Christophe Simon/AFP/Getty Images

Números que fazem da sueca favorita absoluta para ganhar estas quatro provas e buscar recordes mundiais daqui a menos de um mês em Budapeste. E consequentemente, a colocam no mesmo patamar para disputar com Hoszzu e Ledecky o prêmio de melhor nadadora do mundo. Confira abaixo o melhores tempos da carreira de Sjöstrom nas quatro provas:

50m livre: 23s83 no Campeonato Sueco 2017 (2ª melhor marca da história)
100m livre: 52s08 no Mare Nostrum de Canet 2017 (2ª melhor marca da história)
50m borboleta: 24s43 no Campeonato Sueco 2014 (recorde mundial)
100m borboleta: 55s48 nos Jogos Olímpicos Rio 2016 (recorde mundial)

Por Guilherme Freitas

Deixe um comentário

To Top