40 km de Camburi a Alcatrazes à nado

O nadador Ricardo Oliveira levou 15 horas para nadar a distância que separa os dois pontos no litoral norte paulista

10/04/2018 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter

Provas de longas distâncias nas águas abertas são muitas vezes desafiantes. Nesses momentos os atletas precisam levar o corpo e a mente ao limite. Muitas vezes o saldo dessas aventuras é positivo e inesquecível. Trata-se da história do nadador Ricardo Augusto Oliveira que completou no último dia 3 de abril um desafio inédito nas águas abertas do Brasil: completou à nado a travessia entre a Praia de Camburi em São Sebastião e o arquipélago de Alcatrazes. Uma distância de aproximadamente 40 km.

O arquipélago de Alcatrazes esta situado próximo à costa de São Sebastião que por mais de 30 anos ficou totalmente fechada para a população. Apenas oficiais da Marinha tinham acesso a ilha onde praticavam exercícios militares. A partir deste ano a ilha foi liberada para a prática do ecoturismo. Ricardo, inclusive, foi um dos membros da equipe que realizou a 1ª Volta à Nado do Arquipélago de Alcatrazes. Na ocasião um seleto time de sete nadadores deu a volta  no arquipélago à nado como contamos aqui.

Motivado a retornar o local da travessia com seus amigos, Ricardo resolveu se desafiar e colocou como meta nadar da Praia de Camburi até o arquipélago. A distância e a dificuldade de concluir o percurso não o desanimaram pois o atleta já vinha se preparando há algum tempo. “Desde que cheguei em Camburi, 20 anos atrás, fiquei com muita vontade de ir até Alcatrazes, mas era proibido, então pensei em ir a nado e consegui. Foi um treinamento muito duro com meu treinador, o Álvaro Coleone. Foi bem difícil, tive contratempos e o desafio é muito grande. Quando o sol apareceu no horizonte a energia só aumentou e aquele gás final veio para completar o percurso com uma hora de antecedência do previsto. Nas horas ruins a cabeça acaba comandando e não deixando desanimar”, conta.

Foram cerca de 15 horas de travessia em mar aberto, saindo no fim de tarde de Camburi e chegando ao arquipélago na manhã do dia seguinte. Um desafio inédito e que o colocou na história da modalidade: até hoje apenas Ricardo completou esse percurso a nado. “Sou o único que fiz esse trecho, mas adoraria muito que outros atletas topassem e fizessem. Não é só uma das travessias mais bonitas como desafiadoras e um grande teste para uma das maiores provas de maratona aquática do mundo que é a temida travessia do Canal da Mancha”, conta o atleta que teve apoio do Instituto Chico Mendes de Biodiversidades e do veleiro Endurance que acompanhou a prova com seu time de apoio.

Ricardo tem uma história curiosa sobre seu início na modalidade. Ele começou a nadar em águas abertas após sofrer um acidente em 2009. O barco onde estava na Ilhas Fiji sofreu um naufrágio e ele teve que nadar por mais de quatro horas para salvar outras pessoas da embarcação. Após este incidente ele passou a nadar com mais frequência em mar aberto e começou a disputar vários eventos com destaque para a Maratona Aquática 14 Bis.

O nadador espera também que seu feito ajude a divulgar ainda mais a modalidade e a região do litoral norte paulista. “Busco fomentar também o turismo e o ecoturismo. Alcatrazes é deslumbrante e muito rico em fauna marinha, um dos locais mais lindos do país”, finaliza.

Tags

Águas abertas Arquipélago de Alcatrazes Igor de Souza natacao Praia de Camburi Ricardo Oliveira ultramaratona aquática

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas