Roma

A primeira prova de águas abertas do Troféu Brasil

Em 2014 a Raia da USP em São Paulo foi palco de uma meia maratona de 5 km vencida por Poliana Okimoto e Luis Rogério Arapiraca

12/04/2018 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Prova de águas abertas na Ria USP em 2014 - Foto: Satiro Sodre/SSPress

Prova de águas abertas na Ria USP em 2014 - Foto: Satiro Sodre/SSPress

Amanhã acontece em Copacabana a maratona aquática do Troféu Brasil. Porém, esta não será a primeira vez que as águas abertas fazem parte do programa de provas do principal campeonato da natação brasileira. Em 2014 uma meia maratona de 5 km foi realizada em paralelo com as disputas na piscina. A ideia, que na época foi tida como uma espécie de teste, nunca mais foi realizada. Agora ela volta a pauta nesta primeira edição do evento sob a nova gestão presidida por Miguel Carlos Cagnoni.

Naquele ano o Troféu Maria Lenk (nome que o evento adotou entre 2007 e 2017), foi disputado em São Paulo na recém-reformada piscina do Complexo Esportivo do Ibirapuera. A prova de águas abertas também foi realizada na capital paulista e o local escolhido foi a Raia Olímpica da USP, dentro da Cidade Universitária. A raia olímpica tem 2,2 km por 100m de extensão e o local é frequentado por muitos atletas do universo aquático, principalmente praticantes de remo, canoagem, paddleboard e stand-up paddle.

Ao todo, 30 atletas disputaram a meia maratona. Foram 19 homens e 11 mulheres. O evento teve alguns desfalques como Allan do Carmo e Ana Marcela Cunha que não participaram da competição. Entre as mulheres a campeã foi Poliana Okimoto que conseguiu uma vitória tranquila completando os 5 km em 57min09s bem a frente de Betina Lorscheitter que levou a medalha de prata com 59min26s sendo seguida por Gabriela Ferreira, que completou o primeiro pódio feminino de águas abertas do Troféu Brasil com 1h02min29s.

Se na prova feminina Poliana conseguiu valer o seu favoritismo, entre os homens a disputa foi acirrada até o final entre dois jovens atletas que viviam um bom momento nas águas. Melhor para Luis Rogério Arapiraca que foi o vencedor com 56min57s, um segundo a frente de Samuel de Bona. O pódio teve ainda a presença de outro jovem nadador na época, Victor Colonese que faturou a medalha de bronze com 57min00s.

Apenas dois clubes conquistaram medalhas na primeira prova de águas abertas da história do Troféu Brasil. A Unisanta venceu as duas e ainda levou um bronze. Já o Grêmio Náutico faturou duas pratas e um bronze. Assim como vai acontecer este ano, a prova em 2014 contou pontos para as equipes, fato que ajudou os dois clubes a terminarem no top 5 do ranking geral (natação + águas abertas).

A adição da maratona aquática ao programa de provas do Troféu Brasil ajuda a valorizar a modalidade, já que as equipes passarão a investir mais nos nadadores de longa distância. Amanhã 15 clubes serão representados por 53 atletas de olho nos pontos que poderão somar em Copacabana pensando em como no fim eles podem fazer a diferença.

Tags

Águas abertas CBDA Luis Rogério Arapiraca natacao Poliana Okimoto Raia da USP Troféu Brasil

Notícias relacionadas