A transição da natação para a corrida no aquathlon

Como realizar uma troca de maneira rápida e eficaz sem prejudicar a prova? Explicamos mais aqui neste texto

13/10/2020 - Luiz Felipe Lebeis

Facebook Twitter
Aquathlon no XTERRA - Foto: Reprodução
Atleta se prepara para fazer transição no aquathlon - Foto: Reprodução

Atleta se prepara para fazer transição no aquathlon - Foto: Reprodução

Aquathlon no XTERRA - Foto: Reprodução

Olá pessoal, hoje voltamos a falar um pouco mais sobre o aquathlon e seus segredos. O assunto de hoje é a transição da natação para a corrida e vice-versa. Podemos dividir esse assunto em dois tópicos: a transição no momento exato em que deixamos o plano horizontal da natação e passamos para o vertical da corrida ou o contrário, dependendo do formato da prova e a área de transição onde ocorre a troca de material.

Quem já fez uma prova dessas sabe o quanto é cansativo ter de sair da natação para começar a correr, e caso não tenha um mínimo de treinamento em transição, com certeza vai sentir aquela sensação de “coração na boca” e ficar bem ofegante. Falo por experiência própria pois já passei por isso, e é péssimo.

Para não ter que passar por tal situação tente adaptar seus treinos para poder se acostumar a essa mudança da posição corporal. Faça tiros começando na água e terminando na corrida, forçando bastante o momento da troca entre os dois. Essa é uma parte fundamental da prova e precisa ser treinada tanto quanto os outros fundamentos.

Atleta se prepara para fazer transição no aquathlon – Foto: Reprodução

Agora vamos falar sobre a área de transição, que é o local aonde você irá trocar o material de corrida para natação ou da natação para corrida. Não importa a ordem da modalidade, porque é superimportante que o seu local de transição esteja arrumado de modo que seja fácil de localizar e mais fácil ainda de trocar de material, buscando tornar essa transição mais ágil. Se a corrida for primeiro, deixe touca e óculos próximos para conseguir colocá-los mais rápido e não perder muito tempo na área de transição.

E se a prova começar com a natação, deixe na área da transição apenas o seu tênis e número de peito bem arrumados de modo que não precise nem se sentar para calçá-los. Se você possui um tênis confortável não se preocupe em colocar meias. Sempre faço um teste com meus tênis para saber se dá para correr sem elas nas provas, mas não costumo treinar sem.

De preferência tente colocar um cadarço elástico nos tênis em vez de usar cadarços convencionais. São vendidos em qualquer loja esportiva, feitos especialmente para facilitar a colocação dos tênis já que não precisam ser amarrados. Caso a prova permita o uso de neoprene (roupa de borracha) tenha atenção na hora da troca para não se enrolar.

Atleta se prepara para fazer transição no aquathlon – Foto: Reprodução

Quando sair da água e estiver a caminho da transição, vá tirando a parte de cima do traje e deixe abaixado até a cintura enquanto se dirige para a troca. Se a prova não tiver nenhum staff que ajude a tirar o neoprene, quando chegar no seu local de transição abaixe o resto do traje até as canelas e depois faça o seguinte movimento: pise com um pé na parte que estará no chão e levante a outra perna. Assim, o neoprene irá sair com mais facilidade e depois é só retirar o outro lado da mesma forma. Parece complicado, mas com um pouco de prática estará fazendo bem rápido.

Ter um bom treinamento nos fundamentos e tomar cuidado para não se esquecer nenhum dos passos acima fará com que sua transição seja um aliado a mais para conseguir baixar suas marcas!

Tags

Águas abertas aquathlon corrida Luiz Felipe Lebeis natacao

Luiz Felipe Lebeis

Bicampeão e recordista da Maratona Aquática 14 Bis, campeão do Rio Negro Challenge, do Desafios Aquaman e do Campeonato Carioca de Aquathlon.

Notícias relacionadas