Agora é que são elas no Hall da Fama

Natação terá três campeãs olímpicas eternizadas na classe 2018: Rebecca Adlington, Amanda Beard e Libby Trickett

21/02/2018 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Amanda Beard entrará no Hall da Fama - Foto: Tim Binning/TheSwimPictures

Amanda Beard entrará no Hall da Fama - Foto: Tim Binning/TheSwimPictures

A International Swimming Hall of Fame (ISHOF) anunciou na semana passada sua classe de homenageados para entrar no seleto Hall da Fama. A novidade é que na natação todas as eternizadas pelo memorial serão mulheres: a britânica Rebecca Adlington, a americana Amanda Beard e a australiana Libby Trickett. Um trio que tem muita história e conquistas nas piscinas principalmente na década de 2000.

Adlington brilhou nos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008 ao sagrar-se campeã olímpica nos 400m e 800m livre. Quatro anos depois tentou o bicampeonato em ambas as provas na Olimpíada de Londres, mas deixou a competição em casa com dois bronzes. Beard surgiu para a natação precocemente nos Jogos de Atlanta-1996 quando aos 14 anos ganhou duas pratas nos 100m e 200m peito. Oito anos depois em Atenas seria campeã olímpica nos 200m peito. Já Trickett também fez parte desta geração conquistando sete medalhas olímpicas, entre elas o ouro nos 100m borboleta em Pequim.

Além das três nadadoras o ISHOF também homenageia atletas de outras modalidades. Nas águas abertas o indicado é Petar Stoychev, que foi um dos maiores nomes da modalidade na década 2000. O búlgaro conquistou sete medalhas em Mundiais da Fina, além de dezenas de pódios em etapas da Copa do Mundo e do Grand Prix. Stoychev também atravessou duas vezes o Canal da Mancha tendo registrado o recorde da prova em 2007, marca que só foi superada cinco anos depois pelo australiano Trent Grimsey.

Também entram para o Hall da Fama em 2018 a jogadora americana de pólo aquático Brenda Villa, a nadadora artística japonesa Miho Takeda e a saltadora russa Irina Lashko, além dos americanos Joy Cushman e Andy Burke como contribuidores e o consagrado técnico australiano Bill Sweetenham. Até hoje apenas dois brasileiros fazem parte do Hall da Fama do ISHOF: Maria Lenk, da classe de 1988 e Gustavo Borges da classe de 2012.

Lembrando que também existe o Hall da Fama das Águas Abertas, organizado pela International Marathon Swimming Hall of Fame. Este ano a cerimônia de premiação acontecerá em Londres, no dia 31 de maio. Uma das eternizadas será Poliana Okimoto, medalhista de bronze na maratona aquática olímpica no Rio-2016 e campeã mundial em Barcelona-2013. Além dela outros três brasileiros fazem parte deste seleto grupo: Abílio Couto, Igor de Souza e Ricardo Ratto.

Tags

Amanda Beard Hall da Fama ISHOF Libby Trickett natacao Petar Stoychev Rebecca Adlington

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas