Águas abertas do Brasil terão cinco nadadores em Budapeste

14/05/2017

Facebook Twitter

Ana Marcela e Betina serão a dupla nos 5 km – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Depois da convocação oficial da seleção brasileira de natação para o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Budapeste ser anunciada, foi a vez de conhecer o time que irá para a Hungria disputar as provas de águas abertas no Lago Balaton, local da disputa das travessias. A CBDA aproveitou a realização das segunda e terceira etapas do Campeonato Brasileiro de Águas Abertas em Foz do Iguaçu para definir os selecionados. A regra era simples: os dois primeiros colocados nos 5 km e 10 km seriam os convocados. Ao fim das provas realizadas em Foz cinco atletas confirmaram a convocação para Budapeste. Neste grupo tivemos algumas figurinhas carimbadas e também jovens e boas surpresas.

Na maratona de 10 km a disputa foi acirrada nas duas provas. No feminino a vitória ficou com Ana Marcela Cunha que mostrou estar recuperada da cirurgia de remoção do baço feita logo após os Jogos Olímpicos. Ela completou o percurso em 2h05min36s00, numa chegada bem apertada contra a grande surpresa da prova: Viviane Jungblut, que chegou apenas 0s10 atrás de Ana Marcela. A jovem gaúcha, que já havia feito um excelente Troféu Maria Lenk, conseguiu uma vaga para seu primeiro Mundial desbancando ninguém menos do que a medalhista olímpica Poliana Okimoto que não conseguiu se aproximar das duas no final da prova e terminou em terceiro lugar.

Viviane Jungblut disputará seu primeiro Mundial - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Viviane Jungblut disputará seu primeiro Mundial – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Se na prova feminina houve surpresas, os homens não ficaram atrás e assistimos a um feito inédito. Pela primeira vez em sua carreira o jovem nadador Fernando Ponte conquistou uma vitória no Campeonato Brasileiro de águas abertas ao completar a prova em 1h55min41s00, três segundos a frente de Allan do Carmo que com a segunda colocação também garantiu vaga para o Mundial de Budapeste, que será seu nono consecutivo. Já Fernando fará sua estreia em Mundiais.

Nos 5km a dupla masculina se repetiu, porém, na ordem inversa. Dessa vez foi Allan quem completou a meia maratona na frente. O nadador baiano concluiu a prova em 54min27s00, exatos um segundo a frente de Fernando, confirmando a dupla em Budapeste. No feminino Ana Marcela mais uma vez não deu chance para suas rivais e venceu a prova com 57min47s. A luta pelo segundo lugar foi bem acirrada e Betina Lorscheitter levou a melhor chegando dez segundos depois da nadadora baiana e dessa forma carimbando o passaporte para o Mundial-2017. Vale lembrar que Poliana Okimoto abriu mão de nadar a prova de 5 km e pela primeira vez desde 2006 não disputará um Mundial de águas abertas.

Allan do Carmo, Fernando Ponte e Victor Colonese (foto: Mariana Sá/CBDA)

Allan do Carmo e Fernando Ponte serão os brasileiros na Hungria – Foto: Mariana Sá/CBDA

Dessa forma cinco nadadores confirmaram vaga na seleção que disputa entre os dias 15 e 22 de julho as provas de águas abertas no Mundial. A CBDA deixará a critério dos atletas a inscrição para a disputa dos 25 km e provavelmente montará uma equipe de revezamento visando ir ao pódio pelo terceiro Mundial seguido na prova por equipes. Após as travessias em Foz do Iguaçu formou-se um grupo que mescla a experiência de Ana Marcela Cunha e Allan do Carmo, com a juventude de Fernando Ponte, Viviane Jungblut e Betina Lorscheitter, coincidentemente todos atletas do Grêmio Náutico União, confirmando o que já escrevemos aqui sobre a renovação da modalidade.

Classificados para o Mundial de Budapeste

5 km: Ana Marcela Cunha (Unistanta) e Viviane Jungblut (Grêmio Náutico União); Fernando Ponte (Grêmio Naútico União) e Allan do Carmo (Aceb).

10 km: Ana Marcela Cunha (Unistanta) e Betina Lorscheitter (Grêmio Náutico União); Allan do Carmo (Aceb) e Fernando Ponte (Grêmio Náutico União).

Por Guilherme Freitas

Tags

Águas abertas Allan do Carmo Ana Marcela Cunha Betina Lorscheitter Budapeste-2017 CBDA Fernando Ponte Fina Mundial de Budapeste Viviane Jungblut