As irmãs sírias que foram salvas pela natação

01/02/2016

Facebook Twitter

No decorrer do ano passado o mundo passou acompanhar através dos noticiários o desespero dos cidadãos civis da Síria, que procuravam fugir do inferno do país que desde 2011 enfrenta uma terrível guerra civil entre partidários e opositores ao governo do presidente Bashar Assad, além das ações terroristas e bárbaras do Estado Islâmico. Muitos desses sírios fugiram para a Europa onde receberam refúgio em dezenas de países. O esporte, uma das bandeiras para a paz e amizade entre povos, ajudou a salvar algumas vidas.

Os casos mais famosos foram de um treinador de futebol que foi agredido por uma repórter húngara e conseguiu emprego num clube espanhol e de um jogador da seleção sub-17 síria que conseguiu uma vaga para treinar em um clube da Alemanha. Mas a natação também pode se orgulhar de ter ajudado a salvar a vida de duas jovens e outras dezenas de pessoas que viajaram com elas rumo a Europa, numa arriscada travessia pelo mar Egeu.

 

Yusra Mardini disputou duas provas no Mundial de curta de 2012 - Foto: Mirko Seifert

Yusra Mardini disputou duas provas no Mundial de curta de 2012 – Foto: Mirko Seifert

 

A história ganhou destaque entre o fim do ano passado e começo de 2016, fazendo com que as irmãs Yusra e Sarah Mardini ganhassem holofotes. As duas jovens (Yusra tem 17 anos e Sarah tem 20) embarcaram em um barco superlotado para chegar a costa da Grécia, mas no meio do caminho o barco quase afundou devido ao peso. As duas pularam na água e juntas com outros dois homens nadaram por três horas ao lado do barco que atracou em segurança.

Após um tempo elas chegaram a Alemanha onde passaram a viver num campo de refugiados em Berlim e contaram suas histórias. Sven Spannekrebs, técnico do clube Wasserfreunde Spandau 04, ouviu sobre as garotas e as convidou para voltarem a treinar. Hoje apenas a caçula Yusra esta treinando com a equipe de Spannekrebs e tem um sonho que deseja atingir este ano: participar dos Jogos Olímpicos do Rio-2016, que não seria sua primeira grande competição internacional.

 

As irmãs Yusra e Sarah Mardini - Foto: Michael Sohn/AP Photo

As irmãs Yusra e Sarah Mardini – Foto: Michael Sohn/AP Photo

 

Em 2012, Yusra representou a Síria no Mundial de piscina curta em Istambul. Na ocasião, aos 14 anos, nadou os 200m e 400m livre. Fã de Cesar Cielo, Yusra ganhou uma nova chance e espera poder desfrutá-la para reconstruir sua vida e atingir seus sonhos.

Por Guilherme Freitas

Tags

esporte guerra natacao Síria superação Yusra Mardini