Betina Lorscheitter vai nadar do Leme ao Pontal

Nadadora da seleção brasileira deve realizar o desafio em setembro e já começou sua preparação para encarar os 34 km de prova

14/05/2018 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Betina Lorscheitter - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Betina Lorscheitter - Foto: Satiro Sodré/SSPress

De passagem por São Paulo onde veio fazer uma série de avaliações biomecânicas com a equipe da Meazure, a nadadora da seleção brasileira de águas abertas Betina Lorscheitter aproveitou sua estada na capital paulista para conhecer a sede da SWIM CHANNEL e também bater um papo com nossa equipe. Ela ainda revelou com exclusividade que esta se preparando para um grande desafio este ano: concluir a Travessia do Leme ao Pontal.

“Será um grande desafio pessoal e a maior distância em águas abertas que irei nadar (34 km). Devo realizar o desafio na segunda quinzena de setembro e em agosto farei uma espécie de simulado lá no Rio de Janeiro para já ir me adaptando a prova. Vai ser também a primeira vez que nadarei a noite (a largada acontece de madrugada com chegada pela manhã) e não tenho nenhum medo da escuridão, mas é claro que antes de encarar esses desafio pretendo me preparar melhor e fazer alguns treinos a noite”, disse Betina que tem a prova dos 25 km no Mundial de Budapeste ano passado, como maior distância nadada em sua carreira.

A atleta gaúcha revelou que nadará sem traje de neoprene e que pretende superar todos os possíveis recordes da ultramaratona no Rio de Janeiro. “Meu objetivo será fazer uma boa prova e completar o desafio. Sou uma atleta muito competitiva e consequentemente, quero e vou tentar superar os principais recordes do evento. Meus treinamentos serão cada vez mais focados neste desafio, que além de ser duro fisicamente também levarei bastante em conta o lado mental”, disse a nadadora.

Betina defendeu apenas um clube em toda sua carreira como atleta, o Grêmio Náutico União. O clube gaúcho tem uma longa tradição em revelar constantemente nomes para as águas abertas e para a seleção brasileira. “Faz parte da filosofia do clube revelar e investir em talentos para as competições de maratona aquática e hoje nosso clube é uma grande potência nesse campo. Teve a primeira geração com o Guilherme Bier, Marcelo Romanelli e Carlos Pavão, depois veio eu e o Samuel de Bona e hoje temos a Viviane Jungblut e o Fernando Ponte. No último Mundial, inclusive, metade da seleção era do GNU e agora também há outros jovens com muito potencial vindo por ai”, conta. a atleta que também faz parte do time da Mormaii Natação.

Quinta colocada na prova de águas abertas do Troféu Brasil, que foi seletiva para definir as equipes do Brasil para algumas competições internacionais, Betina afirmou ainda que existe a possibilidade de ser convocada para o Campeonato Sul-Americano de Esportes Aquáticos, que acontecerá em outubro, na cidade peruana de Trujillo. Por enquanto ela continua sua preparação visando para seu próximo compromisso que será a 4ª etapa do Campeonato Brasileiro de Maratonas Aquáticas da CBDA que será disputado em São Luís entre os dias 29 de junho e 1º de julho.

Tags

Águas abertas Betina Lorscheitter Grêmio Náutico União natacao Travessia do Leme ao Pontal

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas