Brasil fecha o Pan de Lima com 30 medalhas

País conquista dez medalhas de ouro e faz a melhor campanha da história; Guilherme Costa conquista ouro histórico

11/08/2019 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Guilherme Costa - Foto: Pilar Olivares/Reuters
Guilherme Costa - Foto: Getty Images

Guilherme Costa - Foto: Getty Images

Guilherme Costa - Foto: Pilar Olivares/Reuters

E chegou ao fim a natação dos Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru. No último dia de provas o Brasil conquistou mais cinco medalhas e fechou sua campanha com sua melhor performance na história da competição. Ao todo foram 30 medalhas, sendo dez de ouro, nove de prata e 11 de bronze. Foram ao todos dois recordes pan-americanos com os revezamentos 4x100m livre e 4x200m livre masculinos. Os resultados completos de todas as provas podem ser conferidos aqui.

 

Guilherme Costa- Foto: Katarine Monteiro/SWIM CHANNEL

Cachorrão de ouro
Depois de uma péssima atuação no Campeonato Mundial de Gwangju quando aumentou seu tempo em mais de 20 segundos, Guilherme Costa chegou a Lima pensando apenas em dar a volta por cima. E o Cachorrão conseguiu. Nadando forte do início ao fim e exibindo o que tem de melhor, ele foi soberano ao longo de todo o percurso e conquistou uma medalha duplamente histórica para a natação brasileira com 15min09s93. Primeiro porque foi o primeiro ouro do Brasil nesta prova desde Tetsuo Okamoto na edição inaugural dos Jogos em 1951. E depois por ser a 10ª medalha dourada do país neste Pan, igualando o recorde das últimas três campanhas. O americano Nicholas Sweetser foi prata com 15min14s24 e o mexicano Ricardo Jacobo terminou com o bronze ao nadar para 15min14s99. Diogo Villarinho foi o outro brasileiro na prova e concluiu em sexto lugar com 15min26s94.

 

Pódio do revezamento 4x100m medley – Foto: Sergio Moraes/Reuters

Centésimos definem a última prova do Pan
A prova mais disputada da noite foi o revezamento 4x100m medley masculino que teve um intenso duelo entre Estados Unidos e Brasil. As previsões já apontavam um duelo cabeça a cabeça e foi justamente isso que aconteceu. O Brasil chegou a liderar na parcial de costas, mas os americanos assumiram a liderança a partir do peito para não perder mais, porém, a vantagem nunca passou de 80 centésimos. No fim vitória dos Estados Unidos com novo recorde pan-americano 3min30s25 contra 3min30s98 do time brasileiro formado por Guilherme Guido, João Gomes Júnior, Vinicius Lanza e Marcelo Chierighini. A Argentina conquistou a medalha de bronze e fechou o pódio com 3min38s41.

 

Revezamento 4x100m medley – Foto: Katarine Monteiro/SWIM CHANNEL

Revezamento feminino é bronze
No 4x100m medley feminino o time americano não deu chances para a concorrência. A equipe dos Estados Unidos liderou de ponta a ponta e garantiu mais uma medalha de ouro com 3min57s64. O Canadá terminou sua participação no Pan de Lima com uma prata ao nadar para 4min01s90. Já o time brasileiro foi terceiro colocado com 4min04s96, tempo que assim como no 4x200m livre deixa o país distante de uma boa marca pensando na classificação para os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020. A equipe foi formada por Etiene Medeiros, Jhennifer Alves, Giovanna Diamante e Larissa Oliveira, que chegou a sua décima medalha em Jogos Pan-Americanos. Um recorde para a natação feminina do Brasil.

 

Caio Pumputis – Foto: Katarine Monteiro/SWIM CHANNEL

Prata e bronze que poderiam ser ouro
Era vitória que poderia ter sido do Brasil. Caio Pumputis e Leonardo Santos sabiam que poderiam ter brigado pela vitória, mas não conseguiram nadara abaixo dos 2 minutos e conquistaram a prata e o bronze. A dupla do Pinheiros que disputa seus primeiros Jogos Pan-Americanos, chegou a liderar a prova nos primeiros 100 metros, mas o forte fim de prova do americano William Licon fez a diferença e com 1min59s13 ele conquistou o título da prova encerrando a hegemonia do Brasil que vinha desde o Pan do Rio-2007. Caio, que sentiu uma lesão, terminou com a prata ao fazer 2min00s12 e Leo foi bronze com 2min00s29, conquistando sua segunda medalha neste Pan. Com as duas medalhas conquistas do Brasil chegou naquele momento a 27 pódios, recorde absoluto do país em Pan.

 

Delfina Pignatiello – Foto: Maxi Failla

Terceiro ouro de Delfina
A argentina Delfina Pignatiello terminou os Jogos Pan-Americanos de Lima com sentimento de missão cumprida. A jovem nadadora almejava conquistar três medalhas de ouro na competição e conseguiu concluir o feito. Depois das vitórias nos 400m e 800m livre, Delfina brilhou mais uma vez e ganhou a terceira medalha de ouro nos 1500m livre. Foi uma prova estratégica, com a jovem abrindo vantagem no começo e sendo alcançada na metade pela experiente chilena Kristel Kobich. Porém, nos últimos 100 metros a argentina arrancou para a vitória e marcou 16min16s54. A veterana Kristel conquistou a prata naquele que deve ser seu último Pan com 16min18s19. O bronze foi para a americana Rebecca Man com 16min23s23. Viviane Jungblut terminou em quinto lugar com 16min30s00 e Ana Marcela Cunha foi a sétima com 16min39s83.

 

Alexandra Walsh – Foto: Peter H. Bick

Dobradinha americana
Nos 200m medley feminino as nadadoras americanas monopolizaram as atenções e duelaram braçada a braçada pela vitória. Melhor para Alexandra Walsh que sagrou-se campeã pan-americana vencendo sua compatriota Meghan Small por apenas 12 centésimos: 2min11s24 de Walsh contra 2min11s36 de Small. O bronze foi para a canadense Bailey Andison que cresceu na reta final e superou a peruana Mckenna Elliot que até a parcial de peito lutava por medalha. Andison marcou 2min14s14. Já a peruana foi a quinta colocada. A única representante do Brasil na prova foi Camila Mello que em seu primeiro Pan terminou em sétimo lugar com 2min17s22.

Tags

Delfina Pignatiello Guilherme Costa Jogos Pan-Americanos Lima-2019 natacao

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas