Brasileiros voando em Mônaco

Bruno Fratus, Felipe Lima e Jhennifer Alves brilham na terra da velocidade da Fórmula 1 durante a etapa do Circuito Mare Nostrum

10/06/2019 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Felipe Lima - Foto:  Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Bruno Fratus - Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Bruno Fratus - Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Felipe Lima - Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Monte Carlo é sinônimo de velocidade. Afinal é nas ruas do Principado de Mônaco que acontece o Grande Prêmio mais famoso da Fórmula 1. Os brasileiros também costumam se sair bem nos eventos esportivos em Monte Carlo. Ayrton Senna venceu o Grande Prêmio de Mônaco seis vezes e Gustavo Kuerten sagrou-se campeão duas vezes do Master 1000 de tênis no local. Na natação todos os anos acontece o Meeting Internacional de Natation de Monte Carlo, parte do Circuito Mare Nostrum e onde os brasileiros vem conseguindo bons resultados.

A começar por Bruno Fratus que mais vez sagrou-se campeão na disputa dos 50m livre na piscina do Stade Louis II. No Mare Nostrum de Monte Carlo as provas de 50 metros são disputadas no formato de eliminatória. A cada bateria alguns atletas são eliminados até sobrarem os dois mais velozes na semifinal. Fratus começou sua campanha sábado com 22s47 nas eliminatórias. Ainda no sábado nadou para 21s81 na 2ª fase e e 21s89 na 3ª fase. No domingo cravou 21s56 nas semifinais e foi ainda mais brilhante na final: 21s31, melhor tempo do mundo este ano e novo recorde de campeonato. Um tempaço, digno de um carro de Fórmula 1 rasgando pelo túnel de Mônaco.

Felipe Lima também foi outro brasileiro a brilhar e acelerar em Mônaco. Nos 50m peito o nadador não só sagrou-se campeão como também bateu o recorde sul-americano na distância: 26s33 na última fase da disputa, sendo nove centésimos mais rápido que a antiga marca de João Gomes Júnior feita no Troféu Brasil-Maria Lenk deste ano. Felipe começou sua campanha no sábado com 27s20 nas eliminatórias. Fez 27s16 e 26s79 nas fase seguintes. No domingo caiu na água para a semifinal e cravou 26s89. Na decisão superou o bielorrusso Ilya Shymanovich. Ele ainda ainda nadou os 100m peito fazendo 1min00s80 nas eliminatórias (2º tempo), mas não nadou a final.

A terceira grande performance do Brasil em Mônaco foi de Jhennifer Alves, também nos 50m peito. A brasileira não só ganhou medalha na prova como melhorou seu recorde sul-americano na distância ao cravar 30s42 no domingo. Jhennifer começou sua campanha com 31s96 na primeira eliminatória. Em seguida melhorou para 31s23 e depois para 31s07. Na semifinal nadou abaixo dos 31 segundos pela primeira vez com 30s76. Na final foi batida pela russa Yulia Efimova que triunfou com 30s04, novo recorde do evento. Jhennifer, que não vai ao Mundial, melhorou em cinco centésimos seu recorde do Troféu Brasil-Maria Lenk e tem agora a 4ª melhor marca do mundo em 2019.

Entre os nomes internacionais que nadaram em Mônaco destaque para o japonês Daiya Seto que bateu dois recordes de campeonato nos 200m medley com 1min57s60 e nos 400m medley com 4min10s30. Destaque também para a argentina Delfina Pignatiello que com 4min08s34 estabeleceu um novo recorde argentino nos 400m livre. Os resultados completos da etapa monegasca podem ser acessados aqui.

O Mare Nostrum continua com a etapa de Canet, na França, nesta terça e quarta-feira. Além dos trio brasileiro outros 16 aletas disputarão a etapa. O circuito chega ao fim no próximo fim de semana com a etapa de Barcelona que terá a presença dos nadadores do revezamento 4x100m livre.

Tags

Bruno Fratus Circuito Mare Nostrum Felipe Lima Jhennifer Alves natacao recorde sul-americano

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas