Concluir o ensino médio: a missão de Regan Smith

Campeã e recordista mundial diz que neste momento de pandemia terminar o estudos é sua principal meta em 2020

25/05/2020 - Katarine Monteiro

Facebook Twitter
Regan Smith - Foto: Mike Lewis
Regan Smith - Foto: Ed Jones/AFP/Getty Images

Regan Smith - Foto: Ed Jones/AFP/Getty Images

Regan Smith - Foto: Mike Lewis

A campeã mundial Regan Smith concedeu uma longa entrevista ao The New York Times na semana passada sobre o período de distanciamento social em meio à pandemia do COVID-19 e seus principais objetivos ainda para 2020. Sem poder treinar e competir, o foco da jovem nadadora de 18 anos está em terminar o ensino médio.

Smith atingiu o auge na temporada passada conquistando duas medalhas ouro no Campeonato Mundial de Gwanju-2019 nos 200m costas e com o revezamento 4x100m medley. Ela também quebrou os recordes mundiais nos 100m costas (durante a abertura do revezamento) e 200m costas. A campeã e recordista mundial seguia firme em sua preparação para a seletiva americana para os Jogos Olímpicos de Tóquio quando tudo parou.

Na época de quarentena, ela se limitou ao que possuía em casa para continuar em atividade. “Apenas estava tentando trabalhar com o que tenho em minha casa. Corri  muito, temos uma ótima esteira por aqui. Meu preparador físico tem sido realmente ótimo, ele está me enviando alguns exercícios incríveis que posso fazer remotamente”, disse a jovem que também teve alguns passatempos no período. “Tenho dois cães, então tenho passado muito tempo com eles. Eles são muito bons para aliviar o estresse e também assisto muitos programas de TV aleatórios”, comentou sobre o período ocioso.

Regan Smith – Foto: Ed Jones/AFP/Getty Images

A atleta, que mora em Lakeville, no estado do Minnesota, está terminando seu último ano do colégio e comentou sobre o fato de não ter tido uma formatura devido ao coronavírus.

“Antes de tudo parar, minha equipe de natação planejava fazer uma pequena viagem de treinamento a Fort Myers, na Flórida. Eles partiriam alguns dias antes da minha formatura. Então, eu teria perdido de qualquer maneira. O que é triste, mas, na minha opinião, é isso que escolhi e é isso que quero fazer. Preferiria estar no treinamento da Flórida. Isto é para mim e para a vida que eu quero”, comentou.

A atleta ainda completou: “Estava realmente ansiosa para ter minha última temporada de primavera com toda a minha equipe e todos os meus melhores amigos. A primavera sempre é mais divertida para mim e toda sexta-feira durante a primavera, muitos de nós íamos comer fast-food e sair juntos. Eu sinto muita falta disso”, disse.

Depois do último ano no colégio, Smith se mudará para Stanford, onde treinará com Greg Meehan, treinador da equipe de natação feminina do time dos Estados Unidos.

Regan Smith – Foto: Mark Schiefelbein

“Foi uma grande decisão. É uma grande mudança. Tenho sorte de ter a oportunidade de frequentar uma escola incrível. Sei que o treinador de Stanford, Greg Meehan, funcionará muito bem com meu treinador, Mike Parratto, e eles colaboram muito bem. Sei que será um ajuste difícil, mas acho que estou pronta. Para mim, mentalmente, acho que seguir em frente, ir para a faculdade e obter uma mudança de cenário e ritmo será realmente ótimo”, falou Smith.

Smith já voltou às piscina em 18 de maio, após uma ausência de dois meses, mas seu tempo na água foi limitado porque apenas um nadador por raia é permitido.

“Tenho recuperado o sono e tentado melhorar as coisas que eu não tinha necessariamente tempo quando estava mais ocupada. Por exemplo, era péssima em alongar depois dos treinos e minha flexibilidade era muito ruim. Não atrapalha minha natação, mas acho que não ajuda e agora tenho me concentrado em alongar e me soltar mais. Eu realmente não encontrei nenhum hobby super sólido e ainda estou tentando descobrir como preencher espaço”, finalizou.

Tags

COVID-19 natacao natação americana Regan Smith

Katarine Monteiro

Jornalista da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas