Roma

A história de Tim Duncan: das piscinas para as quadras

Como um furacão mudou a vida de um promissor nadador e o transformou num dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos

27/10/2020 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Tim Duncan - Foto: Reprodução

Tim Duncan - Foto: Reprodução

Na história do esporte já assistimos a alguns grandes atletas terem uma experiência em outra modalidade antes de estourarem mundialmente. Um dos casos famosos é de Ronda Rousey, que começou no judô onde foi medalhista olímpica e depois tornou-se campeã mundial no UFC.  Na natação brasileira temos um grande exemplo: Fernando Scherer. Sim, antes de brilhar nas piscinas Xuxa foi tenista federado na adolescência e rivalizou nas quadras de Santa Catarina com nada mais, nada menos, que Gustavo Kuerten, o Guga. Mas existe outra história envolvendo a natação e uma estrela mundial de outra modalidade.

O protagonista dessa história atende pelo nome de Timothy Theodore Duncan, ou simplesmente Tim Duncan. O eterno pivô do San Antonio Spurs de 2,11m quase foi um nadador olímpico. Nascido no dia 25 de abril 1976 nas Ilhas Virgens, um território americano na região do Caribe, Duncan queria seguir os passos de sua irmã mais velha, Tricia que representou as Ilhas Virgens nos Jogos de Seul-1988.

Tim Duncan – Foto: Aric Crabb

O jovem Duncan treinava na única piscina olímpica de St. Croix, a capital das Ilhas Virgens. Segundo seus técnicos tinha potencial para ser olímpico já que era muito alto e tinha boa técnica, principalmente nos 200m e 400m livre. Seu objetivo era estar nos Jogos de Barcelona-1992, mas tudo mudou em 1989 quando o Furacão Hugo, de categoria 5, devastou sua terra natal. A piscina onde Duncan nadava foi destruída e seu sonho interrompido. A saída era treinar no mar, mas o medo de tubarões o fez desistir da modalidade.

Para piorar a situação sua mãe Ione, morreu vítima de câncer de mama. Duncan então resolveu focar nos estudos e tentar uma vaga nas universidades americanas. Incentivado pelo cunhado Ricky Lowery, ele passou a praticar basquete e foi se desenvolvendo na modalidade. Chamou a atenção das universidades americanas e mudou-se para os Estados Unidos indo estudar e jogar pela Wake Forest University. Após quatro anos de estudos, foi draftado como primeira escolha em 1997 pelo San Antonio Spurs, equipe que defendeu durante toda a carreira na NBA.

Tim Duncan – Foto: Reprodução

O resto é história. Duncan foi um dos melhores pivôs da NBA somando cinco títulos, sendo eleito duas vezes o MVP da temporada, outras três vezes o MVP das Finais e tendo 15 participações no jogos das estrelas da liga. Sua camisa de número 21 foi aposentada pelo San Antonio e hoje ele é assistente técnico da equipe. O pivô ainda realizou o sonho de ser olímpico, tendo feito parte da equipe americana que levou o bronze nos Jogos de Atenas-2004.

Duncan também é conhecido pelo seu jeito discreto e pela empatia. Em 2017 outro furacão, o Irma, devastou as Ilhas Virgens. O jogador viajou ao país e ajudou na distribuição de alimentos e materiais de saúde as vítimas, além de ter feito uma doação milionária. Se ele teria sucesso nas piscinas jamais saberemos, mas devido ao furacão Hugo ganhamos um dos maiores jogadores de basquete de todos os tempos.

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.