Curiosidades e números do 3º dia: Peaty, Felipe e João dão show

25/07/2017

Facebook Twitter

Após um recorde mundial nos dois primeiros dias da natação no Mundial de Budapeste, apenas hoje foram quatro, sendo dois do fenômeno Adam Peaty nos 50m peito. Prova em que João Gomes Júnior e Felipe Lima também fizeram marcas espetaculares e se colocaram entre os mais rápidos de todos os tempos. A final de amanhã promete. Katie Ledecky, para variar, continua fazendo história.

João Gomes Júnior após sua série eliminatória (foto: Satiro Sodré/SSPress)

João Gomes Júnior após sua série eliminatória (foto: Satiro Sodré/SSPress)

– Incrível o nível dos 50m peito masculino. Primeiro pelo óbvio destaque para Adam Peaty e seu inacreditável 25s95 na semifinal, abaixando a marca mundial que estabelecera na eliminatória de 26s10. E dessa vez com uma grande saída, algo que não costuma fazer. Agora ele tem nove dos dez melhores tempos da história da prova, sendo que dois deles são de passagens de provas de 100m peito. Felipe Lima se classifica em segundo para a final com 26s68, agora quarto no ranking all-time, com uma excelente parte nadada e grande final de prova. João Gomes Júnior passou em quinto com 26s86 empatado com o americano Kevin Cordes, mas havia feito 26s67 na eliminatória, terceiro no ranking all-time, recorde sul-americano superando o 26s76 de Felipe França que foi recorde mundial em 2009. E o segundo no ranking de todos os tempos, o sul-africano Cameron van der Burgh, também conseguiu sua melhor marca hoje, com 26s54 na eliminatória. Boas chances de uma ou até duas medalhas para o Brasil na final amanhã. Será a quinta vez em Mundiais que o país terá dois nadadores em uma mesma final.

Top 10 nadadores mais rápidos da história dos 50m peito masculino
1.  25s95 Adam Peaty, GBR        Mundial 2017 (semi)
2.  26s54 C. van der Burgh, RSA  Mundial 2017 (elim.)
3.  26s67 João Gomes Júnior, BRA Mundial 2017 (elim.)
4.  26s68 Felipe Lima, BRA       Mundial 2017 (semi)
5.  26s70 Damir Dugonjic, SLO    Mundial 2015
6.  26s74 C. Sprenger, AUS       Australiano 2014
7.  26s76 Felipe França, BRA     Maria Lenk 2009
7.  26s76 Kevin Cordes, USA      Mundial 2015
9.  26s83 Hendrik Feldwehr, GER  Mundial 2009
10. 26s85 Kirill Prigoda, RUS   Mundial 2017 (semi)

Felipe Lima após sua semifinal (foto: Satiro Sodré/SSPress)

Felipe Lima após sua semifinal (foto: Satiro Sodré/SSPress)

– Com a vitória nos 200m livre, Sun Yang se torna o primeiro nadador da história a vencer os 200m, 400m, 800m e 1500m livre em Mundiais no masculino. Ele já era o único a vencer 200m, 400m e 1500m em Jogos Olímpicos. Seu 1min44s39 supera seu recorde asiático de quatro anos em oito centésimos. Inclusive, nas provas de 200m a 1500m, fazia exatamente quatro anos que ele não melhorava nenhuma marca pessoal.

– Katie Ledecky, por outro lado, já venceu as mesmas provas que Yang em Mundiais, com a vantagem que venceu todas as quatro em uma única edição, em 2015. E caminha a passos largos para repetir o feito. Com a vitória nos 1500m hoje, se isola como a maior vencedora feminina em Mundiais com 12 ouros. No entanto, provavelmente não baterá recordes mundiais dessa vez. Com 15min31s82, fica a seis segundos de sua melhor marca. É o quarto melhor tempo da história, obviamente os outros três sendo dela, chegando 19 segundos à frente da medalhista de prata Mireia Belmonte. Apesar de Mireia, recordista mundial em piscina curta, ter superado o recorde espanhol (15min50s89), não foi um pódio muito forte – Lotte Friis foi prata em 2013 com 15min38s e Lauren Boyle em 2015 com 15min44s.

– Em apenas um semestre, a canadense Kylie Masse já começa a estabelecer uma hegemonia nos 100m costas. Após o bronze olímpico no ano passado, evoluiu e ameaçou o recorde mundial duas vezes, a primeira no Campeonato Canadense e a segunda na semifinal de ontem. Hoje, superou aquele que era o recorde mais antigo feminino da natação, que vinha do Mundial de 2009, com 58s10. Mostrou maturidade ao passar na terceira posição e ter a melhor volta. Emily Seebohm, defensora do título, que chegou à Olimpíada do ano passado como favorita e sequer chegou ao pódio, ficou bem satisfeita ao retornar ao pódio com o bronze. Masse, agora, possui três das cinco melhores marcas da história, e é a primeira canadense recordista mundial em provas femininas desde 1974.

Top 5 tempos mais rápidos da história dos 100m costas feminino
1. 58s10 Kylie Masse, CAN     Mundial 2017
2. 58s12 Gemma Spofforth, GBR Mundial 2009
3. 58s18 Anastasia Zueva, RUS Mundial 2009
3. 58s18 Kylie Masse, CAN     Mundial 2017 (semi)
5. 58s21 Kylie Masse, CAN     Camp. Canadense 2017

– O chinês Xu Jiayu repetiu exatamente o tempo da semifinal de 52s44 para vencer os 100m costas. Como na semi ele havia brincado, o tempo foi um pouco decepcionante, até porque havia ficado a um centésimo do recorde mundial de 51s85 no Campeonato Chinês desse ano e era esperado que ao menos ameaçasse a marca na final de hoje. De qualquer forma a vitória valeu, sendo muito ameaçado pelo americano Matt Grevers, que chegou a executar a última braçada na frente, mas Jiayu foi mais ligeiro, vencendo por quatro centésimos. O tempo do vencedor não seria suficiente para pódio na Olimpíada de 2016, em uma das poucas provas com notável aumento de tempos em relação à disputa olímpica. Guilherme Guido queria passar os primeiros 50 metros na casa dos 25s5. Passou para 25s8, assim como na semifinal, e melhorou sua marca de ontem em cinco centésimos para 53s66. Ainda não chegou perto de sua melhor marca de 53s09, mas a final é uma bela motivação para uma grande performance no revezamento 4x100m medley no último dia.

Alegria de Lilly King, decepção de Yulia Efimova (foto: Darko Bandic/AP)

Alegria de Lilly King, decepção de Yulia Efimova (foto: Darko Bandic/AP)

– A prova mais esperada do dia, a guerra Lilly King x Yulia Efimova nos 100m peito. E, de novo, assim como nos Jogos Olímpicos, deu americana. A russa até poderia ter dado um pouco de trabalho se não tivesse saído tão mal. Por isso, se ela ameaçou o recorde mundial ontem, King o destroçou hoje. Passando com 29s80, 17 centésimos abaixo da antiga marca de Ruta Meylutite, voltou ainda melhor e com 1min04s13 abaixa em 22 centésimos o recorde da lituana. Decepção ainda maior para Efimova, que ao piorar 7 décimos do tempo de ontem perdeu a prata para Katie Meili (1min05s03 x 1min05s05). A guerra entre King e Efimova ainda terá outros capítulos ao longo da semana: ainda duelarão nos 50m e 200m peito, provas em que têm os melhores tempos do ano.

– Manuella Lyrio, com 1min59s24 na eliminatória dos 200m livre, terminou na 19ª posição, e Leonardo de Deus, com 1min56s85 na semifinal dos 200m borboleta, ficou em 14º. Ambos aumentaram dois segundos de marcas que já fizeram esse ano. Leonardo mostrou muita consciência na entrevista para o SporTV ao declarar que precisa se planejar melhor para dar seus melhores resultados nas grandes competições internacionais, afinal com seu tempo do Maria Lenk ele se classificaria para a final sem problemas.

Por Daniel Takata

Tags

Adam Peaty Budapeste-2017 Campeonato Mundial Felipe Lima João Gomes Jr. natacao