Desafios concluídos na Travessia do Leme ao Pontal

Beatriz Nantes, Roberto Filho e Victor Sano completaram a mais longa travessia do país no fim de semana; Euzebio Chaves abortou sua prova

28/10/2019 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Travessia do Leme ao Pontal - Foto: Reprodução
Beatriz Nantes durante a Travessia do Leme ao Pontal - Foto: Reprodução

Beatriz Nantes durante a Travessia do Leme ao Pontal - Foto: Reprodução

Travessia do Leme ao Pontal - Foto: Reprodução

Foi um fim de semana intenso no litoral do Rio de Janeiro. Entre sexta e domingo foram feitas quatro tentativas de atravessar a nado a mais longa travessia de águas abertas do país: os 35 km que separaram as praias do Leme até o Pontal. E o saldo foi positivo, com três destas tentativas terminando com sucesso e acontecendo um abandono.

A primeira a cair nas águas cariocas foi Beatriz Nantes na madrugada de sexta-feira. A nadadora paulista se preparou ao longo de muitos meses para encarar este desafio e conseguiu completá-lo com sucesso. Bia encarou a prova na categoria sem neoprene e concluiu a missão com o ótimo tempo de 9h17min, sendo a melhor atleta do fim de semana e ficando a 23 minutos do recorde de Betina Lorscheitter. Para ela, foi a reta final da prova a parte mais difícil com muitas ondulações e ventos.

Na madrugada de sábado dois nadadores caíram na água para completar o desafio. Um deles foi Roberto Filho que também nadou na categoria sem neoprene. O nadador paulista encontrou bastante dificuldade com mudanças na maré e fortes ventos na parte final da travessia, mas manteve sua estratégia e conseguiu chegar até a Praia do Pontal depois de nadar por 14h35min.

Euzebio Chaves durante a Travessia do Leme ao Pontal – Foto: Reprodução

Já Euzebio Chaves não conseguiu concluir o desafio. O nadador mantinha uma velocidade média de 3km/h, mas teve que abortar sua tentativa na altura do quilometro 13 após sentir-se mal na prova com muitos enjoos. Por medidas de segurança o atleta foi retirado da água e infelizmente não conseguiu terminar o percurso. Ele foi colocado no barco de apoio e retornou ao ponto de largada para se recuperar.

Por fim na madrugada de domingo foi a vez de outro paulista encarar o desafio: Victor Sano. O nadador também encontrou muitos percalços ao longo do percurso, mas seguiu em frente e conseguiu completar os 35 km em 10h58min. Victor procurou fazer uma estratégia diferente, procurando explorar as melhores condições do mar, para pegar ventos e ondulações mais fracas. Ele também encarou todo o desafio na categoria sem neoprene.

Com essas três travessias concluídas, são agora 45 provas já realizadas no mar do Rio de Janeiro: 19 na categoria solo sem neoprene, dez na categoria solo com neoprene, dez na categoria revezamento com neoprene e mais seis na categoria revezamento sem neoprene.

Cada vez mais atraindo a atenção de nadadores e ultramaratonistas de águas abertas, a Travessia do Leme ao Pontal vem se consolidando com uma das maiores do Brasil. Para realizar este desafio é preciso fazer uma reserva de janela e conferir todas as regras para participar da prova. Mais detalhes no site da Leme to Pontal Swimming Association aqui: swimlpsa.com.br/.

Tags

Águas abertas Beatriz Nantes Euzebio Chaves LPSA natacao Roberto Filho Travessia do Leme ao Pontal Victor Sano

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas