Dicas para provas de águas abertas – parte 1

Especialista em ultramaratonas aquáticas, Catarina Ganzeli escreve algumas dicas para atletas que vão competir em águas abertas

27/04/2018 - Catarina Ganzeli

Facebook Twitter
Foto: Satiro Sodré/SSPress
Treino para travessia de 3 km - Foto: Thiago Muniz

Treino para travessia de 3 km - Foto: Thiago Muniz

Foto: Satiro Sodré/SSPress

Nadar em águas abertas, seja uma prova em menor distância ou uma ultramaratona aquática, é sempre um desafio para os nadadores. Seja por se tratar de um feito inédito, para desfrutar da adrenalina de competir em contato com a natureza ou para testar seus limites. Mas nem sempre apenas um bom condicionamento físico e a rotina de treinamentos é suficiente para se fazer uma boa prova.

Cuidados com a pele, com o traje e com a hidratação ao longo do percurso são alguns outros itens essenciais para se fazer uma prova sem sustos. Por isso, publicamos aqui alguns cuidados e dicas especiais de uma especialista no assunto: Catarina Ganzeli. Ultramaratonista Aquática e atleta da Unisanta e da seleção brasileira, Catarina é a atual campeã da Maratona Aquática 14 Bis, além de colecionar medalhas em diversas provas da modalidade nos últimos anos.

Confira abaixo a primeira parte das orientações para se fazer uma boa prova em águas abertas e veja aqui na SWIM CHANNEL semana que vem a segunda parte. Aproveite as dicas e boa prova!

O traje da competição deve ser sempre confortável – Foto: Satiro Sodré/SSPress

  • Não esqueça o protetor solar

Queimaduras são inflamações na pele que além do incômodo e dor, podem roubar energia do seu corpo. Não deixe de se precaver contra elas, serão muitas horas de exposição ao sol e temos que ir preparados com protetores e se necessário, hipoglós ou pasta d’água.

  • Traje confortável

É importante a escolha de um traje que não te machuque, incomode ou limite seus movimentos. Você precisa se sentir firme e seguro ao nadar, porém sem aquele aperto insuportável! O ideal é testá-lo pelo menos uma vez antes da prova.

  • Capriche na vaselina

Para evitar assaduras vale a pena passar vaselina em toda a alça do traje (caso seja de alças), nas axilas e em torno do pescoço. Muitos atletas gostam também da Lanolina, que é a Banha Animal, pois promove uma proteção mais espessa, contribuindo para evitar queimaduras de águas vivas e ajudando a manter a temperatura corporal, porém a segunda opção é bem mais difícil de retirar depois.

Uma boa embarcação é essencial para a prova – Foto: Jackie Dalia

  • Escolha da embarcação

O barco a motor, quando bem conduzido, sempre leva uma vantagem, pela comodidade de quem o conduz, somado com a facilidade de controle e locomoção. Porém, é importante que a manutenção do barco esteja em dia pois o cheiro de combustível pode causar náuseas. Vale optar por embarcações pequenas que façam menos ondas e não atrapalhe seu nado ao se aproximar.

  • Combine sua estratégia com seu guia

Não deixe de conversar com seu barqueiro ou caiaqueiro sobre como fará suas hidratações. Caso você tome algum suplemento diferente em alguma parte da prova, entregue para ele tudo anotado em um papel, antes da prova; mostre , explique e aponte cada um. Vale também, rotular suas garrafinhas, para que ele saiba o que contém em cada uma delas.

Tags

Águas abertas Catarina Ganzeli dicas de treinamento natacao ultramaratona aquática

Catarina Ganzeli

Nadadora da Unisanta e da seleção brasileira  especialista em ultramaratonas aquáticas

Notícias relacionadas