Dupla conquista para o Brasil no Canal da Mancha

01/09/2016

Facebook Twitter

No último final de semana tivemos uma triste notícia. O triatleta britânico Nick Thomas acabou falecendo enquanto tentava atravessar a nado o Canal da Mancha. Atleta experiente e com participações em Ironmans, ele teve um mal súbito durante o percurso e não resistiu. Uma tragédia que com certeza choca o mundo do esporte, porém, a semana do Canal não foi apenas de tristeza. Dois brasileiros estiveram no estreito que separa a França da Inglaterra e concluíram com êxito a famosa travessia.

Felipe Putz e Marcelo Teixeira conseguiram completar a mítica travessia e se juntaram a uma seleta lista de nadadores que já conseguiram desbravar os cerca de 33 km da travessia. Felipe nadou primeiro, no dia 24 de agosto. Saindo de Dover na costa inglesa, ele concluiu o percurso em 13h52min. “Nado provas de águas abertas há quase dez anos. Já participei quatro vezes da Travessia 14 bis e em 2010 fiz o percurso em ida e volta totalizando 48km em 16h17min. Isso ajudou na preparação para o Canal da Mancha. Estava há um ano treinando para esta prova, onde cheguei a nadar mais de 2100 km”, conta o nadador que é treinado por Felipe Domingues e Anderson Silva.

Marcelo posa com Igor de Souza e a esposa Iara - Foto: Arquivo pessoal

Marcelo posa com Igor de Souza e a esposa Iara – Foto: Arquivo pessoal

Felipe ainda revelou a SWIM CHANNEL que pretende voltar ao Canal para fazer a travessia de ida e volta ano que vem “Estou treinando para isso e também agora estou atrás de um patrocinador para viabilizar a travessia do ano que vem já que os custos são bem elevados”, finaliza.

Dois dias depois, em 26 de agosto, foi a vez de Marcelo encarar as águas do Canal. Ele também largou da Inglaterra e chegou a costa francesa após 14h35min de travessia. Além da temperatura da água e do longo trajeto, Marcelo teve outro desafio durante a prova: águas vivas. “Contei mais de 300 águas vivas durante a travessia e por muita sorte não foi queimado, porém, fiquei com muita dor no pescoço de tanto olhar para frente buscando desviar delas”, revela o nadador que também sofreu com a forte correnteza do local.

“Peguei uma correnteza fortíssima que corre paralelo a França e depois de já ter nadado umas 12 horas, fiquei parado nela tentando rompe-la. Foi ai que meu técnico me alertou para nadar mais rápido pois a corrente estava mudado e me levando para alto mar. Nadei pela minha vida e consegui entrar numa área bem mais calma”. O nadador contou que esta foi sua segunda tentativa de cruzar o Canal. “Em setembro de 2014 tentei fazer a prova pela primeira vez, mas após 7h30 de prova passei mal e vomitei muito. Infelizmente tive que abandonar a prova”, comenta.

Vídeo com momentos da travessia de Felipe – Crédito: Sea Leopard Charter

Ambos contaram com o auxílio de Igor de Souza, um dos maiores especialistas no mundo quando se fala em Canal da Mancha. “Ele é uma referência mundial para quem pensa em fazer a travessia. Entende muito e sinceramente fica muito difícil atravessar sem ele, que compreende como poucos detalhes importantes como correnteza, tempo e suplementação, além de ser um grande amigo”, conta Felipe. “Ele é uma pessoa que eu aprendi a gostar e admirar demais, sendo fundamental para o sucesso da prova junto com a Iara Rosane, minha esposa”, completa Marcelo que é treinado por Igor.

Com o desafio já concluído a dupla espera apenas pela ratificação dos resultados que deverá ser feita nos próximos dias. Felipe e Marcelo tornaram-se respectivamente os 32º e 33º brasileiros a cruzarem as águas do Canal da Mancha, se juntando a ícones das águas abertas do Brasil como Abílio Couto, Igor de Souza e Dailza Ribeiro. Um feito que com certeza engrandece a natação do país em águas abertas, será eternamente inesquecível para a dupla de nadadores e motivará outros atletas a concluírem esse grande desafio!

Por Guilherme Freitas

Tags

Águas abertas Felipe Putz Igor de Souza Marcelo Teixeira Travessia do Canal da Mancha