Holanda vence novamente e Allan é 17º nos 10 km

16/08/2016

Facebook Twitter

Parecia até que a maratona aquática masculina foram duas provas diferentes. Uma com um protagonista liderando e abrindo vantagem a cada braçada sem pensar no amanhã e outra com diversos nadadores emparelhados na hora de entrar na reta final. Os 10 km de natação em águas abertas disputados na Praia de Copacabana tiveram esse roteiro, com o australiano Jarrod Poort sendo o foco das atenções nos primeiros 8 km de prova.

Poort adotou uma estratégia ousada. E bote ousadia nisso. Nadando num ritmo frenético e extremamente forte ele abria larga vantagem para os demais a cada braçada. Em determinados momentos da prova chegou a abrir mais de 1 minuto de frente para os rivais em uma modalidade conhecida por ter diferenças mínimas e sempre proporcionar chegadas apertadas em grandes eventos. A tática suicida do australiano começou a se mostrar falha na última volta quando foi literalmente atropelado pelos demais e sentiu o esforço do início da prova. Terminou em 22º lugar.

Nadadores durante a maratona - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Nadadores durante a maratona – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Se Poort arriscou tudo e se deu mal, Spiros Gianniotis e Ferry Weertman traçaram estratégias mais conservadoras para chegarem inteiros ao fim do trajeto. Ambos sempre estiveram nos pelotões dos líderes segurando o gás para o último sprint. E foi isso que aconteceu com o experiente grego entrando na reta final na primeira colocação com o holandês em seu encalço. A poucos metros do pórtico Weertman emparelhou com Gianniotis. Pelas imagens parece que o grego chegou a frente, mas errou o primeiro toque na placa enquanto o holandês bateu com firmeza. Após uma demora do photo finish foi confirmado a vitória de Weertman.  A luta pelo pódio foi também intensa com muitos nadadores lado a lado lutando pela medalha de bronze. Melhor para o francês Marc-Antoine Olivier que conseguiu tocar a frente do chinês Lijun Zu e do americano Jordan Wilimovski.

O brasileiro Allan do Carmo fez uma boa prova, sempre nadando próximo aos líderes. Ele fechou a primeira volta na 12ª posição, subiu para o 7º posto na segunda e terminou a terceira em 9º. Na última volta, porém, perdeu contato com o pelotão da frente e não conseguiu mais se recuperar fechando sua participação olímpica no 17º lugar. Vale lembrar que o melhor resultado do Brasil nas águas abertas masculina continua sendo o 14º lugar de Allan em Pequim-2008.

Allan do Carmo durante a chegada da maratona - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Allan do Carmo durante a chegada da maratona – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Com esse resultado a Holanda foi o grande país da maratona aquática, vencendo ontem no feminino com Sharon van Rouwendaal e hoje com Ferry Weertman. Outros países que também subiram ao pódio foram a Itália, Grécia, França e Brasil, com a histórica medalha de bronze de Poliana Okimoto nos 10 km feminino. Os eventos de esportes aquáticos ainda não terminaram pois haverá provas de saltos ornamentais, nado sincronizado e as fases finais do polo aquático masculino e feminino.

Por Guilherme Freitas

A equipe Swim Channel na cobertura dos Jogos Rio 2016 é patrocinada pela Mormaii, a maior marca de esportes aquáticos do Brasil

Tags

Águas abertas Allan do Carmo Jogos Olímpicos maratona aquática Rio-2016