Roma

Ilhas Cagarras Adventure: 20 equipes, um desafio

Evento de águas abertas terá percurso de 5 km em equipes entre as famosas ilhas e a Praia de Ipanema no Rio de Janeiro

18/12/2020 - Katarine Monteiro

Facebook Twitter
As Ilhas Cagarras - Foto: Reprodução
Logo da Ilhas Cagarras Adventure - Foto: Reprodução

Logo da Ilhas Cagarras Adventure - Foto: Reprodução

As Ilhas Cagarras - Foto: Reprodução

Em fevereiro de 2021 as famosas Ilhas Cagarras, no Rio de Janeiro, recebem um novo formato de travessia. As Ilhas Cagarras Adventure será um desafio de águas abertas em equipe com distância de 5 km, saindo das Ilhas Cagarras, um monumento natural de conservação de proteção com chegada na Praia de Ipanema, uma das mais famosas da Cidade Maravilhosa. O evento será realizado entre os dias 6 e 7 de fevereiro de 2021.

O formato inovador é limitado a 100 participantes e contará com 20 equipes de cinco integrantes cada. A competição é mais que uma prova de águas abertas, já que demanda muito trabalho em equipe e estratégia. A conclusão da travessia só será válida quando todos os atletas do time cruzarem a linha de chegada.

A estratégia varia de equipe para equipe, e ter uma atleta feminina no time faz com que as táticas sejam aplicadas de maneira diferente. Alguns times usam a estratégia das mulheres na frente para puxar a equipe, já outras usam da esteira para que elas consigam percorrer o caminho em um ritmo mais forte. Tudo depende do nível técnico de cada atleta e do nível como equipe em conjunto.

Ilha das Cagarras – Foto: Reprodução

Cada integrante é parte essencial para que a prova seja concluída no menor tempo possível e com a melhor tática possível. No máximo dois atletas da equipe poderão usar equipamentos (pé de pato e/ou palmar) e para garantir a segurança de cada equipe, cada uma terá disponível dois guarda-vidas com SUP monitorando o trajeto. O uso dos equipamentos também podem entrar na estratégia de equipe e a ajuda deles pode ser uma vantagem, se bem utilizados.

Estratégias assim já puderam ser vistas em campeonatos de águas abertas realizadas pela Federação Internacional de Natação (FINA) em que existia a prova de times mistos. O Brasil, por exemplo, já ficou com a prata no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos em Kazan-2015 na prova em equipes que tinha de 5 km. Allan do Carmo, Diogo Vilarinho e Ana Marcela Cunha, na oportunidade ficaram atrás apenas dos alemães.

Assistir provas neste estilo e torcer para as diferentes táticas também é um dos incentivos para que esse tipo de evento seja um sucesso. “O formato foi pensado para ser um evento exclusivo, com poucos atletas. Serão 20 equipes em que a regra não é prezar pelo individualismo, mas sim pelo trabalho de equipe, todos devem cruzar a linha de chegada juntos”, comentou Bruno Vicente, um dos organizadores do evento.

Allan do Carmo, Ana Marcela Cunha e Diogo Villarinho – Foto: Satiro Sodré/SSPress

A emoção e a adrenalina de nadar em equipe pode ser ainda mais intensa com os tempos de pandemia que estamos vivendo. E por isso, devido a pandemia de COVID-19, os organizadores se preocuparam com o bem estar dos participantes e da equipe e optou pela limitação de atletas, recepção e premiação em ambiente controlado dentro da CareClub.  O uso de máscara é obrigatório durante o trajeto e nas áreas de convivência e também existe a exigência de apresentação do teste SUAP cinco dias antes do evento e redução dos pontos de contato, feitos agora por autoatendimento.

“A expectativa é que seja uma disputa bem acirrada, teremos algumas premiações extras com troféus diferenciados, como a equipe que tiver a mulher mais rápida, o atleta mais novo e o atleta mais experiente que chegarem juntos com a equipe. O diferencial do evento é a disputa em equipes e a exclusividade, além de não ser uma prova em circuito, e sim 5 mil metros em águas abertas e tudo isso deve ser superado com o trabalho de equipe”, finalizou Bruno.

O desafio vai contar também, antes da prova, com workshops de grandes nomes da modalidade e do esporte, como o nadador olímpico e deputado federal Luiz Lima. Além dele serão palestrantes o Dr. Rafael Brasília, nutricionista esportivo; Fabio Scandariam, coordenador do triathlon e paratriathlon nos Jogos-Rio 2016 e organizador do primeiro SwimRun no Brasil e René Alonso, ex-comandante do BOPE, que fará uma palestra sobre liderança.

Logo da Ilhas Cagarras Adventure – Foto: Reprodução

A entrega dos kits será no sábado das 14h às 16h, no Hotel Fairmont, um dos mais conhecidos e requisitados da cidade. A elegância e o conforto do hotel cinco estrelas será o palco do  Simpósio Técnico e Workshops no mesmo dia entre as 16h30 às 18h30. No domingo, os atletas têm um encontro marcado no posto 6 da Praia de Copacabana (RJ), onde irão pegar as escunas. Na sequência, os atletas já bem acomodados em suas embarcações, navegam por quase 10 km passando pelas praias famosas até aportar em frente as Ilhas Cagarras na Praia de Ipanema.

Depois de um dia intenso de competições, nada melhor para os participantes do que relaxar em um dos espaços da CareClub em Ipanema. No “Chill Out” os atletas poderão usufruir do recovery com equipamentos de ponta, comes e bebes, ambiente climatizado e exclusivo além de terem a opção de verem fotos e vídeos do evento.

As inscrições pode ser realizas através do site oficial das Ilhas Cagarras Adventure e a cobertura completa do evento você acompanha na SWIM CHANNEL. Acompanhe também as novidades no Instagram do evento, o @ilhascagarrasadv.

Tags

Águas abertas Bruno Vicente natacao Rio de Janeiro Travessia das Cagarras 2021

Notícias relacionadas