Justiça é feita em Kazan

28/07/2015

Facebook Twitter

Se alguém não merecia ficar de fora da Olimpíada do Rio de Janeiro, eram Ana Marcela Cunha e Poliana Okimoto. Hoje, a justiça foi feita para as melhores nadadoras do mundo em águas abertas dos últimos dois anos. Ao terminarem entre as dez primeiras colocadas a prova de 10 km no Mundial de Kazan, garantiram seus lugares na prova a ser disputada na praia de Copacabana, daqui um ano. O Brasil é o único país que terá duas representantes na prova feminina. E as duas com chances reais de medalhas. Como bônus, Ana Marcela ainda conquistou o bronze. a medalha primeira do país em Kazan, em uma recuperação memorável na última das quatro voltas do percurso, atrás da francesa Aurelie Muller e da holandesa Sharon Van Rouwendaal. É o terceiro mundial seguido que ela sobe ao pódio (foi ouro nos 25 km em 2011 e prata e bronze nos 10 km e 5 km em 2013). Mas, em uma prova cheia de tensão – talvez a mais tensa de todo o ciclo olímpico, mais até do que a própria prova olímpica – o que importou mesmo para as duas foi chegar entre as dez primeiras.

Para Ana, a volta por cima: há quatro anos, na mesma prova de 10 km no Mundial de Xangai, no mesmo sistema de classificação para a Olimpíada, ela terminou na 11ª posição e viu a vaga olímpica escapar por entre os dedos, por somente uma posição. Para Poliana, um feito inédito: se no masculino o grego Spyridon Gianniotis está garantido como o único a disputar a prova de águas abertas desde sua estreia, em Pequim-2008, a brasileira também se torna, no feminino, a primeira a garantir o feito (lembrando que mais nadadores podem se juntar a eles na próxima seletiva, no ano que vem). Assim, o Brasil repete exatamente a mesma equipe que foi a Pequim-2008 na estreia das águas abertas em Olimpíadas: Ana Marcela e Poliana no feminino e Allan do Carmo no masculino. No caso deles, esses oito anos de diferença não pesam fisicamente. Pelo contrário. Terão mais chances do que nunca.

Por Daniel Takata

A equipe Swim Channel no Mundial de Kazan é patrocinada pela Finis, a melhor tecnologia para natação.

Tags

Águas abertas Ana Marcela Cunha Campeonato Mundial Kazan-2015 Poliana Okimoto Rio-2016