Juventude e experiência em Windsor

21/10/2016

Facebook Twitter

Felipe França tentará o trimundial nos 50m peito – Foto: Vitor Silva/SSPress

 

A CBDA anunciou finalmente a convocação da seleção brasileira para o Campeonato Mundial de piscina curta, que acontecerá em Windsor (Canadá) nos dias 6 a 11 de dezembro. Ao todo serão 14 atletas, sendo cinco deles classificados por atingir os fortíssimos índices no Troféu José Finkel mês passado. Os demais 11 completam a lista devido aos índices técnicos. Uma seleção mais enxuta em relação a Doha-2014, quando o Brasil fez sua melhor campanha em Mundiais de curta e terminou como líder no quadro de medalhas. E também uma seleção que mescla experiência de atletas consagrados com a juventude de estreantes em grandes eventos internacionais.

Do grupo que irá ao Canadá temos quatro campeões mundiais individuais em piscina curta. Kaio Márcio de Almeida foi campeão mundial nos 50m borboleta no Mundial de Xangai em 2006. Seis anos depois Nicholas Santos venceu a mesma prova na disputa do Mundial de Istambul. Em Doha-2014 Etiene Medeiros fez história ao se tornar a primeira mulher brasileira a vencer uma prova em Campeonatos Mundiais de piscina. Felipe França é o mais medalhado do grupo, somando três vitórias individuais e mais três ouros em revezamentos. Além deles há ainda Larissa Oliveira que integrou o revezamento 4x50m medley misto medalha de ouro em Doha-2014.

Etiene Medeiros vai defender seu título mundial - Foto: Satiro Sodre/SSPress

Etiene Medeiros vai defender seu título mundial – Foto: Satiro Sodre/SSPress

 

Também completam o time da experiência nadadores com muitas conquistas internacionais e que chegarão a Windsor com chances de também conquistarem suas primeiras medalhas em Mundiais de curta. Atletas como Leonardo de Deus e Felipe Lima estão há anos na seleção principal, mas ainda não conseguiram subir ao pódio nesta competição. No Canadá chances da dupla ser medalhista nos 200m borboleta e 50m peito, respectivamente, são boas. Ainda há Brandonn Almeida, Manuella Lyrio, Daiene Dias, Thiago Simon e Lucas Kanieski que também acumulam experiência no selecionado nacional e vão em buscar de uma medalha inédita.

Haverá ainda duas estreias na seleção brasileira absoluta em competições de grande porte. Estreias de nadadores do Grêmio Náutico União e que fizeram ótimas campanhas no Finkel. Em 2013 Viviane Jungblut nadou o Mundial Júnior de Dubai e agora disputa seu primeiro Mundial absoluto. No Finkel foi um dos destaques batendo recordes nacionais nas provas de fundo. A grande surpresa dessa equipe é Fernando Scheffer que na seletiva para Windsor venceu os 200m livre e garantiu uma vaga ao ser um dos melhores índices técnicos do evento.

Viviane Jungblut faz sua estreia na seleção - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Viviane Jungblut faz sua estreia na seleção absoluta – Foto: Satiro Sodré/SSPress

 

Ainda não foram divulgado se o Brasil nadará alguma prova de revezamento. Porém, pela escalação divulgada é possível montar uma equipe para o 4x200m livre, 4x50m e 4x100m medley masculino e 4x50m e 4x100m medley misto. A missão de montar e avaliar esses possíveis revezamentos ficará a cargo dos técnicos Alberto Silva, Fernando Vanzella, Carlos Matheus, Eduardo Santos e Sérgio Marques.

Por Guilherme Freitas

Tags

Fina Mundial de piscina curta natacao seleção brasileira Windsor