Kristof Razosky é o primeiro campeão em Gwangju

Húngaro dominou e venceu com facilidade a prova dos 5 km, agora se coloca como um dos candidatos ao ouro nos 10 km

12/07/2019 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Prova dos 5 km - Foto:  Satiro Sodré
Kristof Razosky - Foto: Derencsenyi Istvan

Kristof Razosky - Foto: Derencsenyi Istvan

Prova dos 5 km - Foto: Satiro Sodré

Começou nesta sexta o Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos de Gwangju. Ou melhor, começou em Yeosu, cidade a 86 km de Gwangju onde serão realizadas as provas de águas abertas desta 18ª edição do Mundial. Nas águas da Yeosu Expo Ocean Park 61 nadadores alinharam-se no pórtico de partida para disputar a primeira prova deste campeonato, os 5 km masculino que foi dominada pelo melhor nadador inscrito para a distância.

O jovem Kristof Razovsky era o grande favorito a vitória. O húngaro vinha de uma ótima temporada em 2018 quando conquistou três medalhas no Campeonato Europeu de Glasgow. Sem a participação dos principais nomes da modalidade, que optaram por se poupar para os 10 km onde há vagas olímpicas em jogo, Razovsky sobrou e não deu chances a concorrência. Esteve sempre no pelotão dos líderes e soube se posicionar muito bem para arrancar para a vitória nos últimos 500 metros.

Com um forte sprint abriu muita vantagem e chegou com sobras a frente da concorrência: mais de dez segundos! O húngaro de 22 anos nadou a meia-maratona em 53min22s1 e faturou seu primeiro título mundial, o que o deixa motivado para encarar a dura sequência deste Mundial, pois irá nadar todas as distâncias. Seu foco esta nos 10 km onde pretende garantir uma vaga para os Jogos Olímpicos.

Mohamed Ibrahim e Kristof Rasovsky – Foto: Satiro Sodré

A medalha de prata foi disputada até a última braçada com o francês Logan Fontaine levando a melhor sobre o canadense Eric Hedlin: 53min32s para Fontaine contra 53min32s4 para Hedlin. Esta foi a primeira medalha em Mundiais para o jovem francês de 20 anos que também faz parte da nova geração de maratonistas que busca seu lugar no cenário internacional. Já o canadense volta ao pódio depois de seis anos, já que em Barcelona-2013 ele havia conquistado a prata nos 5 km.

Um dos momentos curiosos da prova foi protagonizado pelo sudanês Mohamed Ibrahim. O nadador, que ficou para trás, acabou se perdendo e ficando sem referência. Auxiliado por um barco que o acompanhava Ibrahim achou seu rumo e cruzou o pórtico de chegada na 61ª e última colocação. Porém, ele nadou acima do limite de tempo e acabou sendo desclassificado. Ao fim da prova o campeão Razosky lhe cumprimentou e lhe deu simbolicamente a medalha de ouro, num ato de reconhecimento do espírito esportivo do sudanês (veja na imagem acima). Clique aqui e confira o resultado completo da prova.

Fernando Ponte – Foto: Satiro Sodré

Brasileiros longe do pódio
Fernando Ponte e Diogo Villarinho foram os representantes do Brasil nos 5 km. A dupla esteve sempre no bolo intermediário, mas passou longe de brigar por medalhas. Fernando foi quem teve o melhor resultado da dupla: 25º lugar com 53min43s6. Em Budapeste-2017 ele havia sido 5º colocado nesta mesma prova, no melhor resultado da natação masculina em Mundiais. Já Diogo terminou na 36ª colocação com 53min55s4. Agora ele se prepara para as provas de piscina onde nadará os 1500m livre.

Amanhã tem mais águas abertas em Gwangju e valendo vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ana Marcela Cunha e Viviane Jungblut caem na água para nadar os 10 km na primeira prova feminina deste Mundial. Lembrando que as dez primeiras colocadas desta prova garantem vaga na Olimpíada do ano que vem. Ana Marcela busca sua décima medalha em Mundiais de Esportes Aquáticos e Viviane vai em busca do primeiro pódio. A prova terá transmissão ao vivo do Sportv3 a partir das 20h e o balizamento pode ser conferido aqui.

Tags

Águas abertas Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos Diogo Villarinho Fernando Ponte Fina Gwangju-2019 Kristof Razosky natacao

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas