Leonardo de Deus repete 2014 e leva prata no Pan-Pacífico

Nadador faz melhor marca pessoal nos 200m borboleta (1min54s89) e volta a subir no pódio da competição internacional

10/08/2018 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Leonardo de Deus - Foto: Satiro Sodré/SSPress
Leonardo de Deus - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Leonardo de Deus - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Leonardo de Deus - Foto: Satiro Sodré/SSPress

No segundo dia de competições no Tatsumi International Swimming Center uma bela performance de Leonardo de Deus nos 200m borboleta deu ao Brasil sua segunda medalha neste Campeonato Pan-Pacífico de Tóquio. Foi uma prata saborosa para o nadador que não só repete o resultado do Pan-Pacífico anterior (foi prata em Gold Coast-2014) como crava sua melhor marca pessoal na prova: 1min54s89. É a segunda vez que Leo consegue baixar dos 1min55s, mas esta é a primeira vez em uma competição internacional de grande porte.

Agressivo e indo para cima durante todo o percurso, Leo manteve um ritmo forte para superar seus adversários em uma final bastante equilibrada. Só não deu para bater o campeão Daiya Seto que teve um ótimo fim de prova e conseguiu abrir uma pequena vantagem e triunfou com 1min54s34. O americano Zachary Harting fechou o pódio com 1min55s05. Na final B tivemos Luiz Altamir nadando para 1min56s23. A final feminina foi talvez a mais fraca da competição até aqui e teve vitória da americana Hali Flickinger com 2min07s35.

A velocista Cate Campbell – Foto: Reprodução

Os 100m livre abriram o segundo dia de competições do Pan-Pacífico e ambas foram vencida pelos australianos. Na prova feminina Cate Campbell levou a melhor sobre a campeã olímpica e mundial Simone Manuel e de quebra, bateu o recorde de campeonato liderando de ponta a ponta com um expressivo 52s03, melhor tempo do mundo em 2018. Manuel foi prata com um distante 52s66 e Taylor Ruck ficou em terceiro lugar com 52s72. Larissa Oliveira nadou a final A e foi a oitava colocada com 54s78.

Na prova masculina o campeão voltou. Depois de passar por uma cirurgia cardíaca e ficar fora do Mundial de Budapeste, o campeão olímpico Kyle Chalmers conquistou seu resultado mais expressivo desde que retornou as piscinas ao nadar para 48s00 em uma prova bem equilibrada. A medalha de prata foi dividida entre o também aussie Jack Cartwright e o americano Caeleb Dressel que nadaram para 48s22. Marcelo Chierighini passou bem perto do pódio,  mas acabou em quarto lugar com 48s36. Pedro Spajari também nadou a final A e aumentou seu tempo em relação as eliminatórias sendo sétimo com 48s51. Um detalhe foi que apenas 68 centésimos separaram Chalmers do oitavo colocado Shinri Shioura.

O velocista Klye Chalmers – Foto: Getty Images

Na final B os outros dois brasileiros do time do revezamento 4x100m livre caíram na água e assim como Spajari foram mais lentos em relação as eliminatórias. Gabriel Santos terminou em quarto lugar com 49s24 depois de um 48s72. Já Marco Antônio Júnior ficou em sétimo com 49s60 depois de um 49s23 nas eliminatórias. Os resultados da prova individual não foram bons para o Brasil, mas o conjunto amanhã pode ser melhor. Já os resultados de hoje foram motivadores para a Austrália que brigará pela vitória contra os americanos e brasileiros.

Nos 100m costas um bom resultado para o brasileiro Gabriel Fantoni. Pela primeira vez o jovem nadador mineiro nadou a prova abaixo dos 54 segundos, fazendo 53s92 na final B. Na prova principal uma excelente performance de Ryan Murphy com um tempaço: 51s94, novo recorde de campeonato e apenas nove centésimos acima de seu próprio recorde mundial. Ryosuke Irie foi prata com 52s78 e Mitchell Larkin bronze com 52s88. Entre as mulheres um acirrado embate triplo entre Kylie Masse, Emily Seebohm e Katheen Baker. As três nadaram praticamente lado a lado e a vitória só saiu na batida de mão. Melhor para a Masse que ficou com o ouro com 58s61.

Ryan Murphy – Foto: Lee Jin-man/AP Photo

O revezamento 4x200m livre fechou a programação do segundo dia de disputas do Pan-Pacífico de Tóquio. O Brasil lutou, mas não conseguiu subir ao pódio. Luiz Altamir abriu a prova e entregou para Fernando Scheffer que fez uma ótima parcial e deixou o time brasileiro na liderança. Vindo motivado de uma prata nos 200m borboleta, Leonardo de Deus manteve a equipe na zona do pódio em terceiro lugar, mas Guilherme Costa não conseguiu suportar a pressão do japonês Katsuhiro Matsumoto e finalizou em quarto lugar com 7min11s65, uma boa marca e que dá perspectivas positivas para o futuro. O ouro foi para os Estados Unidos que ultrapassaram a Austrália nos metros finais: 7min04s36 contra 7min04s70.

Na final feminina uma surpresa. A Austrália bateu a forte e favorita seleção dos Estados Unidos. As australianas aproveitaram o fraco início de prova das americanas para triunfar no Tatsumi International Swimming Center. Com 7min44s12 elas não só venceram como bateram o recorde de campeonato e da Oceania. Os Estados Unidos, mesmo tendo Katie Ledecky fechando e quase buscando, não se recuperou da péssima primeira metade e levou a prata com 7min44s37. O Canadá fechou o pódio com 7min47s28.

Tags

4x100m livre Campeonato Pan-Pacífico Leonardo de Deus natacao recorde sul-americano Tóquio-2020

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas