Mario Pinto é o 29º brasileiro a completar o Canal da Mancha

O nadador paulista de 52 anos fez o percurso em um pouco mais de 12 horas nas águas abertas mais famosas do mundo

11/07/2018 - Katarine Monteiro

Facebook Twitter
Os brasileiros após a conclusão da travessia - Foto: Arquivo pessoal

Os brasileiros após a conclusão da travessia - Foto: Arquivo pessoal

Mario Pinto, nadador de Araraquara, completou no último dia 5 de julho uma das travessias em águas abertas mais desafiadoras do mundo: o Canal da Mancha. O atleta concluiu a ultramaratona em 12h05min e tornou-se o 29º brasileiro a completar o trajeto que separa a Inglaterra da França. Com quase 35 km de percurso, a travessia do Canal da Mancha é considerada uma das mais difíceis do mundo devido as fortes correntezas e a baixa temperatura da água, que varia entre 13° e 17°C.

“A prova foi difícil com muitas adversidades. O começo foi tranquilo, calmo, mas do meio pra frente passei por muitas adversidades. A temperatura da água diminuiu, apareceram algumas águas vivas, teve muita neblina e o mar ficou mais mexido. Sou psicólogo esportivo e sabia da importância de uma preparação mental. Fiquei muito focado e terminei exausto, afinal vou fazer 53 anos e realmente é uma travessia difícil. Mas foi uma experiência fantástica e única na minha vida”, disse Mario que fará aniversário em novembro.

Sobre a sensação de completar a prova Mario completa: “A sensação é única. Eu fui um nadador mediano na juventude, e encontrei nas maratonas aquáticas motivação para continuar nadando com alegria, prazer, mas sempre procurando desafios. A sensação de pisar em solo francês depois de tudo (meses de preparação) é algo que não dá pra descrever. Foi fantástico”, disse o atleta.

Igor de Souza, técnico do nadador, lembra que a preparação do atleta para completar a prova foi mais dolorida e difícil do que a própria travessia. “O Mario me procurou há quase dois anos para se preparar para o Canal. Passei todas as instruções, mudei toda a metodologia de treino, e gradativamente o volume foi aumentando para que ele fosse capaz de fazer a prova. Com isso ele teve uma evolução técnica muito boa. Você deve sempre lembrar que o Canal da Mancha é uma disputa entre você e o Canal. Muitas vezes a preparação é muito mais difícil do que a própria prova”, conta Igor.

Sobre a prova em si, Igor relembra do nervosismo do atleta no começo, algo comum para qualquer pessoa que vai encarar uma das provas mais difíceis do mundo. “Seria irreal se ele não estivesse nervoso. A prova começou com 15,2°C de temperatura no mar. Ele sentiu um pouco de frio no meio do Canal, que estava com 13,5°C, mas foi melhorando conforme a prova se aproximava do fim. O mar estava calmo e só nas ultimas horas é que o vento ficou mais forte. Ele estava bem centrado e não precisei dar broncas durante a prova, já que ele se alimentou bem e fez uma boa travessia. Terminar o Canal da Mancha é fora de série, apenas 12% dos que tentam conseguem e Mario, que não teve grandes dificuldades, foi um deles”, finaliza Igor.

Tags

Águas abertas Igor de Souza Mario Pinto natacao Travessia do Canal da Mancha ultramaratona aquática

Katarine Monteiro

Jornalista da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas