Myrtha Pools divulga estudo sobre reabertura das piscinas

Entrevista com o médico Vincenzo Romano Spica explica as medidas preventivas que devem ser tomadas para a reabertura das piscinas

03/06/2020 - Katarine Monteiro

Facebook Twitter
Piscina da Myrtha Pools - Foto: Myrtha Pools/Reprodução
Piscina da Myrtha Pools - Foto: Getty Images

Piscina da Myrtha Pools - Foto: Getty Images

Piscina da Myrtha Pools - Foto: Myrtha Pools/Reprodução

A Myrtha Pools, uma das mais conhecidas marcas de construção de piscinas do mundo, realizou uma entrevista com o médico e professor Vincenzo Romano Spica sobre a retomada de atividades e a abertura de piscinas para o período pós-pandemia do COVID-19.

Professor da Universidade de Roma “Foro Italico”, Vincenzo está entre os maiores estudiosos sobre a segurança da água na piscina e instalações de natação. Professor Titular de Higiene e Saúde Pública, ele é o chefe do Laboratório de Epidemiologia e Biotecnologia e faz sua própria pesquisa sobre saúde e gestão de higiene das instalações de natação.

Sabe-se que as piscinas são apenas uma pequena parte das muitas situações diferentes nas quais o vírus pode se espalhar de um indivíduo para outro. O professor explica que no momento não há na epidemiologia evidência que possa demonstrar um papel particular das piscinas de natação na propagação do COVID-19.

“Muito provavelmente, se medidas gerais de prevenção forem respeitadas, as piscinas também podem estar entre as estruturas mais seguras e controláveis. No entanto, é necessário distinguir entre a atividade física esportiva ou uso reabilitador da natação nas piscinas do jogo recreativo, que vem mais dentro da esfera de praias e espaços divertidos”, comentou.

Piscina Myrtha Pools do Pinheiros – Foto: Reprodução

O especialista alerta que para instalações de natação esportiva, regulamentos claros, medidas preventivas, soluções técnicas e disciplina pode incentivar a conquista de níveis mais altos de segurança para combater a possível transmissão do COVID-19.

Romano Spica reforça que no passado, epidemias em piscinas devido a várias doenças virais e não-virais agentes microbianos, têm sido associados principalmente ao mau gerenciamento da água e às condições do sistema de higiene. No entanto, pode ser que uma pessoa particularmente capaz de expulsar micróbios para o meio ambiente possa causar um desgaste a piscina de melhor execução. “O mundo das piscinas sempre estabeleceu regras para aglomeração, agora elas devem ser aperfeiçoadas, compartilhadas e adotadas com calma com a colaboração de usuários e gerentes”, disse.

Na entrevista, o médico enumera alguns pontos que acredita que seja necessário para otimizar a gestão de piscinas na época de coronavírus. Entre os pontos, estão: garantir a manutenção correta e realizar uma manutenção de risco da COVID-19. “Na preparação de um plano de prevenção, garantir que as medidas sejam aplicadas, possivelmente sem excluir formas de sanções internas para aqueles que violem seriamente as regras de segurança, como temporárias retirada do cartão de sócio para acesso às instalações ou suspensão temporária das atividades”, falou.

Piscina Myrtha Pools do Flamengo – Foto: Vagner Vargas

Além disso, outras medidas enumeradas por ele são: garantir o distanciamento social tanto na piscina nos vestiários e outros quartos ligados à piscina, evitando aglomerações por turnos e criando métodos de acesso à piscina ou vestiários, otimizar os procedimentos de saneamento ambiental, ter planos de emergência em caso de contaminação e acompanhar a situação epidemiológica local e adaptar as medidas, atualizando-as com base em indicações das autoridades sanitárias.

“Mesmo do ponto de vista epidemiológico e de saúde pública, é necessário poder começar a se mover novamente, produzir e participar de esportes e atividade física, e, acima de tudo, poder fazê-lo com segurança na piscina. Isso requer consciência e cautela, essa será a verdadeira vitória sobre COVID”, finalizou.

Desde 1961, a Myrtha Pools constrói um histórico enriquecido com experiência, que permite oferecer aos clientes soluções da mais alta qualidade, projetar e construir, não apenas, piscinas públicas e de competição, mas também piscinas para hotéis e atividades comerciais, piscinas regulares e personalizadas, piscinas terapêuticas para centros médicos e clubes desportivos, e ainda piscinas para parques de campismo, parques aquáticos e navios de cruzeiro.

Tags

COVID-19 Myrtha Pools natacao piscina saúde

Katarine Monteiro

Jornalista da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas