Nadador paralímpico tentará vaga em duas modalidades em Tóquio-2021

Treinando duro na pandemia, o americano Roderick Sewell busca disputar provas de ciclismo e natação paralímpica

18/06/2020 - Katarine Monteiro

Facebook Twitter
Roderick Sewell - Foto: Tom Pennington/Getty Images
Roderick Sewell - Foto: Reprodução

Roderick Sewell - Foto: Reprodução

Roderick Sewell - Foto: Tom Pennington/Getty Images

O nadador paralímpico Roderick Sewell, mal usava bicicleta até o ano passado. Agora ele espera estar nos Jogos Paralímpicos em duas modalidades diferentes:natação e ciclismo paralímpico. O americano nasceu sem as tíbias e pernas e descobriu o esporte ainda novo. Nas piscinas encontrou sua verdadeira paixão e fez parte da seleção nacional dos Estados Unidos que disputou o Campeonato Mundial de Natação Paralímpica em 2017. Na ocasião ele nadou contra atletas amputados ou de uso limitados de alguns membros.

No ano passado, um amigo sugeriu que tentasse uma prova de triatlo mesmo nunca tendo usado uma bicicleta de mão. O atleta então completou uma prova do Ironman, no campeonato mundial em Kailua-Kona, no Havaí em 16 horas e 26 minutos. Na ocasião, foi o primeiro amputado duplo acima do joelho a terminar a prova realizada em outubro do ano passado.

Roderick Sewell – Foto: Reprodução

A experiência instigou o atleta a entrar para o time americano de ciclismo, ideia que só cresceu durante a pandemia do COVID-19. Para Sewell, o adiamento dos Jogos teve um benefício significativo, já que agora ele terá um ano a mais para se preparar visando estar nas duas modalidade. “Não quero apenas uma vaga para Tóquio, pois agora tenho mais um ano para me colocar no pódio”, disse o nadador de 28 anos em entrevista recente ao The New York Times.

Em março Sewell deixou sua casa no Brooklyn para se mudar para o Colorado visando um treinamento em altitude. No meio do mês, o centro de treinamento foi fechado e logo no começo de abril o atleta foi a Milwaukee para morar com um amigo. Depois disso ele ficou em Homestead, na Flórida, na casa de uma tia onde conseguiu correr cerca de 11 quilômetros por dia para manter um nível básico de condicionamento físico.

Roderick Sewell – Foto: Sean M. Haffey/Getty Images

Para conseguir a vaga em Tóquio, ano que vem, ele precisará baixar mais alguns segundos da sua marca de 100m peito. Seu treinador acredita que os treinos de ciclismo o ajudarão no objetivo. Alan Voisard disse ao The New York Times que Sewell já atingiu o tempo nos treinos, mas nas competições ele tem uma tendência a se excitar e agitar os braços, em vez de sentir a água e cair no ritmo ideal.

Sobre a prova no Havaí, o nadador lembra que nunca tinha andado mais de 160 km de bicicleta e nem tinha corrido mais do que uma meia maratona. Não há prova de triatlo nos Jogos Paralímpicos para amputados duplos acima do joelho. E dessa forma, a bicicleta de mão ajoelhada pode ser a melhor chance de sucesso de Sewell nos Jogos de Tóquio.

Roderick Sewell – Foto: Scott McIntyre/NYT

Agora Sewell espera as piscinas reabrirem em Nova York, onde se sente à vontade também para pedalar. Ele planeja voltar aos treinos neste mês. O calendário de competições, que ainda não foi anunciado, o ajudará a definir suas metas de tempo e regime de treinamento. “Posso ver o que preciso mudar e o que preciso consertar. É tudo sobre se tornar um só em cima da bike”, finalizou.

Veja mais na matéria do The New York Times clicando aqui.

Tags

Jogos Paralímpicos natação paralímpica Roderick Sewell Tóquio-2021

Katarine Monteiro

Jornalista da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas