Nadador paranaense vai em busca de história no Leme ao Pontal

12/07/2017

Facebook Twitter

Em 2008 Luiz Lima concretizou uma travessia que imaginava realizar a algum tempo: nadar os 35 km que separam a Praia do Leme a Praia do Pontal no Rio de Janeiro. A inspiração na canção de Tim Maia e a motivação em divulgar as águas abertas para o grande público foram o combustível para a conclusão do desafio. Anos depois de seu feito, Adherbal de Oliveira em sua preparação para a Travessia do Canal da Mancha utilizou o percurso como treinamento e em seguida Paulo Amaral e Patrícia Farias também completaram a distância. Após esses resultados surgiu a ideia de oficializar a Travessia do Leme ao Pontal, que culminou na criação do Leme to Pontal Swimming Association (LPSA).

Com uma organização própria, as travessias passaram a ser melhor organizadas, com datas e janelas para realização das tentativas e os resultados passaram a ser registrados oficialmente. Desde então a organização já registrou outras travessias individuais e em revezamentos. Da épica travessia de Luiz Lima até hoje já aconteceram 11 travessias e há muitos nadadores interessados em atravessar o percurso algum dia. Um deles é Alexandre Kirilos, experiente nadador de águas abertas e que busca fazer história: será o primeiro atleta da região sul do Brasil a tentar completar o desafio.

O nadador Alexandre Kirilos - Foto: Arquivo pessoal

O nadador Alexandre Kirilos – Foto: Arquivo pessoal

Kirilos é paranaense e atleta da Academia Gustavo Borges. Em seu currículo tem outras valiosas conquistas como a Travessia do Canal da Mancha e de Capri-Nápoles. Acostumado a encarar grandes desafios ele esta preparado para desbravar as águas cariocas. “Decidi nadar do Leme ao Pontal no ano passado, porque é a maior do Brasil e muito desafiadora, o que nós ultramaratonistas buscamos, e acredito que seja belíssima, já que é na costa do Rio de Janeiro. Essa travessia também tem todas as dificuldades inerentes a uma ultramaratona, como correntezas, águas-vivas e temperatura da água de 18º C a 19º C, lembrando que nadamos sem roupa neoprene, ou seja, só de sunga e óculos”, conta o atleta que fará a travessia na categoria sem neoprene na janela dos dias 16 e 22 de julho.

Uma curiosidade é que Kirilos é formado em educação física e o responsável pelos próprios treinamentos que ele mesmo monta. O nadador treina em média 50 km por dia. O crescimento da Travessia do Leme ao Pontal é nítido e cada vez vem atraindo interessados em realizar o desafio. Para mais detalhes, histórico da prova e informações acesse a página oficial do Leme to Pontal Swimming Association, clicando aqui.

Por Guilherme Freitas

Tags

Águas abertas Alexandre Kirilos Leme ao Pontal Leme to Pontal Swimming Association