Nadar: seu cérebro agradece

03/01/2017

Facebook Twitter

A prática da natação é algo que o ser humano está acostumado a realizar desde os primórdios de sua existência. Com o passar dos tempos ela foi evoluindo tornando-se não só um meio de sobrevivência, mas também uma modalidade esportiva e um estilo de vida. Além de ser uma ótima maneira para manter o corpo e músculos em forma sadia ela também desenvolve uma das regiões mais vitais do nosso corpo: o cérebro.

Um estudo publicado pelos pesquisadores da Universidade de Nebraska Ashish Sharma, Vishal Madaan e Frederick D. Petty na revista National Center for Biotechnology Information, afirma que a prática da natação deixa o cérebro mais saudável e ajuda a produzir benefícios nos neurotransmissores que influenciam diversas atividades cerebrais como humor, memória, habilidades e coordenação cognitiva, além de recuperar células de qualquer dano cerebral e ajudar a aliviar sintomas de depressão e ansiedade.

 

CBDA volta atrás - Foto: Satiro Sodré/SSPress

O estudo aponta benefícios da natação – Foto: Satiro Sodré/SSPress

 

Segundo o estudo as melhorias de humor e redução dos sentimentos de tristeza são causadas por um aumento significativo na circulação sanguínea no cérebro e seus efeitos sobre o eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, que é um conjunto de glândulas responsável pelo controle das ações emocionais e de estresse do nosso organismo.

Recentemente outros estudos revelaram que a natação é uma das atividades mais completos e que ajuda na conservação da memória, nas funções cognitivas e na coordenação motora. Todas essas publicações apenas reforçam que a prática da natação de forma saudável é uma excelente maneira de melhorar a qualidade de vida. Alguma dúvida para cair na água e dar suas braçadas?

Por Guilherme Freitas

Tags

atividade cerebral atividade física curiosidade estudo científico natacao