Roma

Cafeína e natação

Consumir o estimulante aumenta o fluxo sanguíneo e melhora a capacidade do nadador em aumentar o estado de alerta

09/09/2018 - Renê Leite

Facebook Twitter

A cafeína é um estimulante do sistema nervoso central. Em geral, seus efeitos consistem em aumentar o estado de alerta e reduzir a sensação de fadiga (cansaço); pode melhorar a capacidade do nadador para realizar determinadas tarefas, principalmente durante treinos físicos. Seu pico de ação é de trinta a 45 minutos e a meia vida chega a três horas, ou seja, tempo suficiente para realizar qualquer treinamento.

O consumo da cafeína gera agitação e aumento da ansiedade; tais estímulos podem também melhorar a concentração do atleta momentos antes de uma competição. Possui efeitos inotrópicos estimulantes e vasodilatadores, intensificando assim o fluxo sanguíneo. Consequentemente, aumenta a quantidade de oxigênio levada aos músculos.

Tal beneficio é atrativo não somente para a natação, mas para diversas modalidades esportivas. Por ser estimulante do sistema nervoso central, faz com que a pessoa se sinta mais animada e estimulada por mascarar o cansaço e a dor. Desta forma, aumenta eficiência, controle e produção de energia durante treinos mais intensos.

Uma quantidade saudável de consumo de cafeína por dia é de até 6 mg por quilo da pessoa (2,5 xícaras de café expresso [100ml] contêm por volta de 250 a 400mg de cafeína). Assim como diversos outros tipos de alimento, o consumo em excesso ou em doses maiores de cafeína produz efeitos negativos, como ansiedade e insônia. Outra ação importante da cafeína é o estímulo à diurese (produção de urina) – entre outros mecanismos – e deve-se ficar atento para não se desidratar com tal uso.

Embora a cafeína lembre o nome café, não é somente nele que encontramos esse estimulante. Alimentos como chocolate, chá, refrigerante, bebidas energéticas também o apresentam. Vale ressaltar que a Agência Mundial Anti-Doping –  Wada não considera a cafeína como substância proibida.

Ressaltando sempre que o excesso nunca é saudável, mas, na medida certa, podemos contar com a cafeína para melhora do desempenho esportivo. 

Renê Leite

Nutricionista especialista em Fisiologia e Biomecânica do Exercício.