Sentimos mais fome no inverno?

Uma verdade ou uma lenda urbana das piscinas? Descubra aqui a resposta neste artigo sobre nutrição no inverno

15/05/2018 - Renê Leite

Facebook Twitter
Sentimos mais fome no inverno? - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Sentimos mais fome no inverno? - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Um dos casos mais comuns é que muitas pessoas relatam que no frio sentem mais fome e, por conta disso, têm mais dificuldades para se manter firmes na dieta. Sabemos, sim, que o corpo necessita de mais energia para manter a temperatura, mas, convenhamos, em um país tropical como o nosso, essa alteração não é tão grande assim. Até porque, sempre que há leve queda de temperatura, logo nos agasalhamos para prevenir desconfortos.

A comida tem relação muito estreita com conforto e bem-estar e realmente nos dá sensação diferente dependendo da temperatura ambiente. Alimentos gelados, como verduras, legumes e frutas, não se tornam tão atraentes quanto chocolate quente ou fondue, entre outros alimentos mais ricos em gorduras e açúcar.

Outro fator a que devemos dar muita atenção é a hidratação. No inverno, não consumimos água o suficiente, pois o corpo não a pede com a mesma frequência que no verão. Entretanto, a necessidade de hidratação se mantém. Sabe-se que o cérebro não sabe diferenciar fome de sede; sendo assim, no inverno, preferimos comer a nos hidratar. Às vezes, mesmo um simples copo de água já pode “saciar” essa sensação de desconforto.

Praticantes de atividade física acreditam perder menos líquido nos exercícios em época de frio, o que em parte apenas é verdade. O fato de a temperatura estar mais baixa não deixa o corpo transpirar tanto, porém, a perda de água está acontecendo da mesma forma de quando conversamos, nas fezes, nos movimentos diários, sem conseguirmos mensurar quanto de líquido estamos jogando fora.

Outros, por conta do desconforto térmico, evitam praticar atividade física e ficam mais tempo em casa, o que aumenta a ansiedade; automaticamente, comem mais alimentos, na grande maioria das vezes mais calóricos. Para tentar driblar tudo isso, é de extrema importância seguir algumas recomendações:

  • Não deixe a temperatura interferir na sua atividade física
  • Mesmo sem vontade de beber água, leve com você uma garrafinha e tente manter consumo de cerca de 30ml por quilo de peso dividido em várias vezes ao dia
  • Prefira alimentos mais quentes e menos calóricos, como chás e sopas de vegetais (sopa de cabotiá com couve + gengibre é uma delícia)
  • Tome cuidado com armadilhas, como chocolate quente e pratos mais calóricos com queijos, cremes, catupiry, frituras
  • Não confunda fome com tédio. O fato de ter menos exposição ao sol nos deixa “mais tristes” e faz que optemos sempre por alimentos mais calóricos, por isso, beba um belo copo de água ou chá, mantenha os horários da dieta e tente se ocupar com algo a fazer
  • Evite longos períodos sem se alimentar

Enfim, prepare seu corpo no inverno para que chegue bem no verão.

Renê Leite

Nutricionista especialista em Fisiologia e Biomecânica do Exercício.