O Mundial não poderia ter começado melhor

Recorde mundial, fim de hegemonia, protestos, Brasil na final... 18ª edição do Mundial tem início sensacional em Gwangju

21/07/2019 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Marcelo Chierighini - Foto:  Satiro Sodré
Bruno Fratus - Foto:  Satiro Sodré

Bruno Fratus - Foto: Satiro Sodré

Marcelo Chierighini - Foto: Satiro Sodré

Abriram-se as cortinas do espetáculo. Começou a natação no Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos em Gwangju. E começou quente, com recordes mundiais, surpresas e confusão. Mas primeiro vamos falar da prova mais esperada para natação brasileria: o revezamento 4x100m livre masculino.

Sem a presença de Gabriel Santos, que foi suspenso por oito meses após um teste positivo de doping, o Brasil teve que mudar sua estratégia. Na eliminatória o reserva Andre Calvelo nadou e foi bem. Para final entrou Bruno Fratus, um atleta mais experiente. Normalmente é Gabriel quem abre a disputa, mas sem o velocista coube a Marcelo Cheirighini ser o primeiro nadador do time. Depois Pedro Spajari, Bruno Fratus e Breno Correia fechando.

Pedro Spajari – Foto: Satiro Sodré

O time esteve em alguns momentos na terceira colocação da fortíssima final, mas terminou apenas em sexto lugar com 3min11s99. Mesmo com Bruno e Breno nadando na casa de 47 segundos, não foi o suficiente para ir ao pódio. Com ótimo parcial de 47s06, Kyle Chalmers desequilibrou na reta fina e deu o bronze a Austrália que na última piscina bateu Brasil, Itália e Reino Unido na briga pelo bronze.

Com uma atuação impecável, os americanos venceram a disputa e faturaram a medalha de ouro com novo recorde de campeonato: 3min09s06. Um time bem equilibrado, que teve Caeleb Dressel abrindo muito bem com 47s63 e um parcial destruidor de Zach Apple com 46s86. A realidade para o Brasil é que para ir ao pódio olímpico ano que vem todos precisarão nadar na casa dos 47 segundos, como fizeram os russos que terminaram com a prata nadando para 3min09s97. Essa é a chave para ganhar uma medalha olímpica.

 

Adam Peaty – Foto: Kim Hong-Ji/Reuters

Recorde mundial

Adam Peaty é uma lenda. O inglês é uma máquina de quebrar recordes e parece que ainda não atingiu seu limite. E isso é assustador. Na semifinal dos 100m peito venceu sua série com incríveis 56s88, tornando-se o primeiro homem a romper a barreira dos 57 segundos. Justo ele, que é o único a romper a casa dos 57 segundos. O que será que podemos esperar amanhã na final? João Gomes Júnior foi o representante do Brasil na prova, mas não conseguiu avançar para a final, piorando seu tempo e marcando 59s32.

 

Horton se nega a subir ao pódio – Foto: AFP Photo

Treta

A final dos 400m livre formou o primeiro pódio do Mundial de Gwangju. E foi Sun Yang, com mais uma bela performance o grande campeão com 3min42s44, faturando seu tetracampeonato mundial na distância. O chinês vibrou muito para o ódio de seu inimigo declarado Mack Horton, que terminou mais uma vez com a medalha de prata com 3min43s17. No pódio eles não se olharam e não se cumprimentaram. Horton não sorriu em nenhum momento e se recusou a posar para fotos ao lado do chinês. Foi uma forma de protestar contra o rival, que mais uma vez se meteu em uma confusão sobre doping recentemente. Uma briga que parece estar longe de ser apaziguada. Gabrielle Detti terminou com o bronze com 3min43s23.

 

O pódio dos 400m livre – Foto: Reprodução

A surpresa do dia

Katie Ledecky não é mais imbatível nos 400m livre. A americana que jamais havia perdido essa prova em um Mundial, conheceu o gosto da medalha de prata. Ao longo de toda a final foi pressionada pela jovem Ariarne Titmus. A australiana não se intimidou com a supercampeã na raia ao lado e nadou em seu limite forçando o tempo todo e superando a americana na reta final com novo recorde da Oceania: 3min58s76. Ledecky, que certamente se sairá melhor nos 800m e 1500m livre, terminou com 3min59s97. Detalhe que o tempo foi mais de três segundos acima de seu recorde mundial. Na briga pelo bronze Leah Smith conquistou mais uma medalha em Mundiais com 4min01s29.

 

Nicholas Santos – Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

Nicholas na final

O velocista conseguiu se classificar para a final dos 50m borboleta e amanhã vai em busca de sua terceira medalha em Mundiais nesta prova. Nicholas Santos, que nas eliminatórias havia nadado mal, melhorou na semifinal e segurou no finalzinho para marcar 22s77. Na final terá um duro adversário: Caeleb Dressel, que veio para Gwangju determinando em ser melhor do que foi em Budapeste. O americano bateu o recorde de campeonato com 22s57 e será o rival mais perigoso de Nicholas que tentará a façanha de ser campeão mundial aos 39 anos de idade.

 

O revezamento australiano – Foto: Mark Schiefelbein

Austrália bate recorde

Na final do revezamento 4x100m livre feminino a Austrália sofreu por um momento, mas no fim retomou a liderança e venceu mais uma vez esta prova e com nova marca de campeonato: 3min30s21. Novamente um parcial destruidor de Cate Campbell: 51s45, o diferencial para dar as aussies sua segunda medalha de ouro e liderança provisória no quadro de medalhas neste Mundial. Os Estados Unidos ficaram com a prata, graças a parcial de Simone Manuel com 51s92, nadando para 3min31s02. Esse fim de prova de Simone foi essencial para derrotar as canadenses que terminaram e terceiro lugar com 3min31s78.

 

Katinka Hosszu – Foto: Reprodução

Supremacia mantida

Sarah Sjöström e Katinka Hosszu não tiveram dificuldades em suas semifinais e amanhã provavelmente garantirão mais medalhas de ouro a suas coleções. A sueca nadou fácil e liderou a semifinal dos 100m borboleta com 56s29 e tudo leva a crer que vai faturar mais um título mundial nesta distância onde é dominante desde 2013. Já a Dama de Ferro nadou fácil, fácil para 2min07s17 nos 200m medley e deve passear mais uma vez amanhã. Sua briga não será contra outra nadadora e sim com o relógio. O recorde mundial, estabelecido por ela no Mundial de Kazan-2015, está na mira.

 

Fernando Scheffer – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Logo mais acontece o segundo dia de eliminatórias do Mundial com as provas de 200m livre masculino, 100m costas masculino e feminino, 1500m livre feminino e 100m peito feminino. As provas tem início a partir das 22h com transmissão do Sportv. Os resultados deste primeiro dia de finais já estão disponíveis no site da Omega Timing. Clique aqui para conferir.

Tags

4x100m livre Adam Peaty Campeonato Mundial de Esportes Aquáticos Gwangju-2019 Katie Ledecky Mack Horton natacao Nicholas Santos Sun Yang

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas