Poliana faz história e é medalha de bronze no Rio-2016

15/08/2016

Facebook Twitter

Só termina quando acaba!

O velho ditado popular pode se aplicar ao que aconteceu na maratona aquática feminina dos Jogos Olímpicos do Rio-2016. As areis da Praia de Copacabana estavam lotadas pelo público que assistiam debaixo de um forte sol as 26 nadadoras participantes da disputa olímpica. Após alguns de mar agitado na semana passada as condições para a disputa desta segunda-feira estavam ótimas, com o mar calmo e flat. A primeira edição olímpica desta modalidade no mar foi também uma prova desgastante.

Poliana Okimoto sempre esteve nos pelotões da frente e abriu a última volta na terceira colocação. Enquanto a holandesa Sharon van Rouwendaal se desgarrava das demais e partia rumo ao ouro olímpico, Poliana disputava uma medalha contra a italiana Rachele Bruni, a francesa Aurelie Muller e a chinesa Xin Xin. Após uma árdua disputa o placar eletrônico da Praia de Copacabana anunciou a brasileira na quarta colocação, atrás de Bruni e Muller.

Porém, as filmagens que Muller cometeu uma ilegalidade no momento da chegada e acabou sendo punida e desclassificada pela comissão de arbitragem. A delegação da França entrou com recurso, mas teve seu pedido negado. Dessa forma, Muller acabou sendo desclassificada oficialmente e Poliana herdou a medalha de bronze. Após a confirmação da conquista, Copacabana explodiu. Poliana foi abraçada pelos pais e pelo marido, e também técnico, Ricardo Cintra. Uma grande festa que foi coroada no emocionante pódio olímpico.

E foi uma merecida medalha por tudo que a brasileira passou nos Jogos de Londres há quatro anos. Em 2012 Poliana chegava como uma das favoritas, mas sofreu com a água gelada do Hyde Park e teve que abandonar a prova devido a uma hipotermia. O sonho da medalha teria que ser adiado por mais quatro anos e neste tempo ela treinou duro. Após ganhar três medalhas no Campeonato Mundial de Barcelona em 2013, ter sido eleita a melhor nadadora do mundo e obter a vaga olímpica em Kazan, Poliana só tinha em mente conquistar uma medalha nadando em casa. Ela veio. E mais do que isso, também é uma conquista histórica já que pela primeira vez uma nadadora brasileira sobe ao pódio olímpico.

Se Poliana acabou na terceira colocação, Ana Marcela não teve sorte melhor. A nadadora, que também era considerada uma das favoritas, acabou apenas na 10ª colocação geral. A justificativa para esse resultado foi que ele perdeu uma de suas bolsas de hidratação e acabou tendo um desgaste maior.

Ana Marcela ficou em 10º lugar - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Ana Marcela ficou em 10º lugar – Foto: Satiro Sodré/SSPress

Amanhã teremos a maratona masculina com Allan do Carmo sendo o representante brasileiro. Pode vir mais uma medalha, porém, a festa em Copacabana já começou com a conquista de Poliana Okimoto.

Por Guilherme Freitas

A equipe Swim Channel na cobertura dos Jogos Rio 2016 é patrocinada pela Mormaii, a maior marca de esportes aquáticos do Brasil

Tags

Águas abertas Jogos Olímpicos maratona aquática Poliana Okimoto Rio-2016