Portugal ditando tendência na natação e turismo no cenário mundial

O Madeira Island Ultra Swim 2020 não foi apenas uma simples prova de natação em águas abertas

15/09/2020 - Patrick Winkler

Facebook Twitter
Nadadores em ação no MIUS 2020 - Foto: Reprodução
Nadadores em ação no MIUS 2020 - Foto: Reprodução

Nadadores em ação no MIUS 2020 - Foto: Reprodução

Nadadores em ação no MIUS 2020 - Foto: Reprodução

Muito se falou da prova de maratona aquática na Ilha da Madeira, neste último final de semana no dia 12 de setembro. Também, não é para menos, o evento foi o maior festival de natação em águas abertas neste momento de retomada do calendário esportivo mundial.

Na semana anterior ao Madeira Island Ultra Swim (MIUS), aconteceu a tradicional Travessia Capri-Nápoli na Itália, mas é um evento para pouquíssimos atletas e somente profissionais visto a distância de 36 km da prova. No caso do MIUS, o evento era destinado a atletas de elite e também amadores, totalizando 260 nadadores em provas de 1 K, 5 K, 10 K, 20 K e 30 K.

Ana Marcela Cunha foi campeã dos 10 k no MIUS 2020 – Foto: Patrick Winkler/SWIM CHANNEL

O nome MIUS é inspirado no MIUT – Madeira Island Ultra Trail, prova de corrida que conta com mais de 2.500 atletas, faz parte do cenário mundial da modalidade e representa um importante movimento de turismo esportivo na Ilha da Madeira. Com o sucesso da corrida, a expectativa é alta em relação ao MIUS, afinal o evento acontece em uma ilha com águas quentes e transparentes, e as chances de sucesso eram favoráveis.

Assim o MIUS 2020, tinha grandes desafios pela frente como a prova de Elite 10 K com nadadores profissionais como Ana Marcela Cunha e Allan do Carmo, a prova de ultramaratona como a dos 30 K, as provas de grande público master com distância de 5 K e 10 K e provas para iniciantes com 1 K. Todas as provas tinham largadas muito próximas de horário e a logística não foi fácil para os organizadores do evento.

Avelino Silva, presidente da Associação da Madeira de Natação – Foto: Reprodução

Para Avelino Silva, presidente da Associação da Madeira de Natação, a realização do MIUS 2020 representou a força e potencial que Portugal tem em organizar eventos de natação em águas abertas para todo o cenário mundial.

Se analisarmos com atenção, realmente Portugal apresenta uma das melhores condições geográficas para a modalidade em todo o continente europeu e o que faltava eram ações como essa, para que o país entrasse na rota de viagens esportivas internacionais. O evento ousou e trouxe dois veículos de mídia especializados em natação, para cobrir o evento: a Outdoor Swimmer (maior veículo da Inglaterra) e a SWIM CHANNEL (que além do Brasil, cada vez mais visa fomentar o mercado português).

Atletas em ação na Ilha da Madeira – Foto: Reprodução/MIUS

Estive presente no evento e fiquei impressionado com a logística e organização do MIUS. Tive a oportunidade de entrevistar atletas de elite e os mais entusiásticos amadores. O sentimento era da participação em um festival que se adequava a todos as classes de nadadores, desde o congresso técnico (que foi realizado num dos maiores shoppings da Ilha), kit atleta (que também incluía guia turístico do local e uma boia inflável de navegação) até natação em águas paradisíacas.

A Associação de natação da Madeira, a Federação Portuguesa de Natação e o próprio governo da Ilha da Madeira ficaram satisfeitos com o MIUS 2020 e em breve devem confirmar a realização do evento para o ano de 2021.

Tags

Águas abertas Ilha da Madeira Madeira Island Ultra Swim MIUS natacao Portugal

Patrick Winkler

Editor-chefe da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas