Roma

Quais as chances de Nicholas Santos chegar a Tóquio?

Aos 40 anos, velocista brilhou na campanha do International Swimming League em Budapeste e vai tentar vaga olímpica em três provas

18/11/2020 - Alexandre Pussieldi

Facebook Twitter
Nicholas Santos - Foto: Satiro Sodré/SSPress
Nicholas Santos - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Nicholas Santos - Foto: Satiro Sodré/SSPress

Nicholas Santos - Foto: Satiro Sodré/SSPress

* Texto publicado originalmente na Best Swimming dia 18 de novembro de 2020.

Performance maravilhosa no International Swimming League (ISL), bons resultados, vitórias, tempos próximos do seu próprio recorde mundial, melhora de tempo nos 100m borboleta depois de seis anos. Nicholas Santos foi, sem dúvidas, um dos maiores destaques da Liga e nos encheu de orgulho pelos seu desempenho.

Nicholas está com 40 anos, em fevereiro vai completar 41, e ao disputar a seletiva olímpica do Brasil em abril do próximo ano já será o mais velho participante da competição. Em caso de chegar a vaga olímpica, irá superar Fabiola Molina, nossa nadadora mais veterana que esteve nos Jogos de Londres-2012 com 37 anos e 68 dias. Entre os homens, o mais veterano nadador brasileiro em Jogos Olímpicos foi Rogério Romero que nadou em Atenas-2004 com 34 anos e 269 dias.

Nicholas Santos – Foto: Mike Lewis

Se esta vaga para Tóquio-2020 sair, ele será apenas o quarto nadador da história olímpica a disputar a natação dos Jogos com mais de 40 anos. Mas o que Nicholas precisa fazer e quais as suas chances? São três provas que ele deve disputar na seletiva e abaixo descrevemos cada uma delas e suas chances.

50m livre
O índice olímpico é 22s01, e pelos resultados das últimas temporadas, a segunda vaga está aberta. Enquanto Bruno Fratus é apontado como nossa maior chance de medalhas, a segunda vaga dos 50m livre é vislumbrada por muitos nadadores. Melhor marca pessoal de Nicholas é 21s55, ainda na era dos trajes. Seu melhor tempo desde o fim dos trajes foi em 2012 com 22s07. No atual ciclo olímpico, um tempo nada promissor 22s61 em 2017.

Nicholas Santos – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

100m livre
O índice olímpico é 48s57, e aqui está uma das provas mais disputadas e difíceis da natação brasileira. A expectativa é de que seja a prova com maior número de nadadores marcando o índice. Não fique surpreso com quatro, cinco ou seis, talvez mais nadadores nadando para isso. A melhor marca pessoal de Nicholas é 48s81 feita no Troféu Open de 2009. Em 2012, seu melhor fora da era dos trajes com 49s16. No atual ciclo, outra marca não muito promissora, 50s11 feita no Finkel de 2017.

100m borboleta
O índice olímpico é 51s96, prova que também tem uma série de postulantes e candidatos. Nicholas tem muito próximo disso, 52s31 feitos no Open de 2015. Na temporada passada, no Troféu Brasil nadou para 53s14.

Opinião da Best Swimming
Os 50m livre tem uma vaga aberta, os 100m livre é o mais difícil, pela quantidade e qualidade dos concorrentes, mas é onde tem mais vagas, os 100m borboleta é o mais próximo. No final das contas, Nicholas vai tentar as três. Chance e qualidade ele tem, e torcida é a única coisa que não vai faltar.

Tags

Alexandre Pussieldi Best Swimming ISL natacao Nicholas Santos

Notícias relacionadas