Prevenção das articulações dos ombros em nadadores

Quanto mais cedo o reforço for feito, melhor será a performance e bem-estar do nadador

11/04/2018 - Alexsandra Winkler

Facebook Twitter

Ao contrário do que as pessoas pensam muitas vezes o esporte não está relacionado à saúde, principalmente quando se fala em esporte competitivo. Em busca de uma melhor performance, os atletas executam movimentos que excedem os limites fisiológicos e a dor é o principal sintoma decorrente disso. Na natação, segundo Cohen M. et al. (Incidência de dor no ombro em nadadores brasileiros de elite. Rev Bras Orto, p. 1998; 33. (12):930-2), a dor no ombro esteve presente em 63,4% dos atletas brasileiros de elite. Porém, nesse esporte ombro doloroso não é exclusividade dos nadadores de alto nível.  Os amadores e os nadadores recreacionais também sofrem com a lesão do ombro.

O ombro é extremamente usado em tarefas do dia a dia e em atividades físicas. A articulação perde estabilidade (proteção e controle) em benefício da mobilidade (flexibilidade). O excesso destas atividades gera impacto sobre as estruturas anatômicas. Essa situação provoca uma fragilidade do complexo do ombro. E pode ser o início de desconforto e dores. O atleta em treinamento utiliza seu ombro para executar sua performance. Ele “gasta” e  desprotege seu ombro.

A queixa de dor no local, amplamente conhecida pelos nadadores e pelos técnicos de natação, já resultou em trabalhos clínicos e estudos que acarretaram algumas mudanças no treinamento e na preparação física dos atletas. Nos clubes onde existe um treinamento para nadadores, o aquecimento e os exercícios para reforçar a musculatura do ombro são realizados antes do atleta entrar na água.  Alguns cuidados preventivos são feitos com uma borracha cirúrgica. Este método é conhecido como o da resistência elástica.

Os exercícios com a borracha cirúrgica aproximam-se ao máximo do movimento da braçada, estimulando assim a musculatura necessária para cada estilo. A flexibilidade da articulação do ombro é reforçada e consequentemente a amplitude da braçada é garantida.  Também com a borracha são feitos os exercícios de controle muscular do ombro: os exercícios rotadores internos e rotadores externos. Estes exercícios também servem para diminuir os riscos de deslocamento da articulação, outra patologia, comum e dolorosa em nadadores.

Apesar de mais freqüente em atletas de alto nível, o desgaste da articulação do ombro também está presente em iniciantes ou recreativos. Porém, é mais fácil equilibrar um ombro de um atleta em fase de aprendizado do que de um profissional. Além disso, o iniciante possui a vantagem de não ter desequilibrado a musculatura da articulação do ombro, o que permite que ele inicie os exercícios de reforço para a articulação juntamente com os treinos. Este possui mais chances de ser um ombro saudável e estável.

Apesar de simples, o exercício de reforço exige dedicação extra. Muitos atletas que já passaram por ele ou mesmo por uma fisioterapia orientada tiveram seu ombro reestruturado, mas erroneamente abandonam os exercícios de compensação. O programa de fortalecimento para o ombro deve ser constante e caminhar de acordo com o nível de condicionamento do nadador. Quanto mais estresse imposto pelo treinamento, seja no volume ou na intensidade, mais intensos devem ser os exercícios de reforço.

Quantidade, freqüência e resistência precisam ser compatíveis com o treinamento realizado em cada etapa. As variáveis da intensidade do treino: “rodado”, “leve”, “tiro”, “base”, também interferem no estimulo dos exercícios de reforço muscular.

Além do método da borracha, existem outras propostas para o fortalecimento do ombro: exercícios com peso (musculação ou peso livre), exercícios isométricos (com sobrecarga ou peso corporal) exercícios com vibração mecânica, exercícios isocinéticos.

Assim como o desenvolvimento do treino específico e do condicionamento físico, o trabalho preventivo também deve ser feito individualmente para ter um bom resultado. O fortalecimento de um ombro fraco é difícil e precisa ser supervisionado para corrigir o posicionamento, postura e reduzir as compensações e erros técnicos. Vale lembrar que exercícios executados erroneamente são mecanismos de lesão.

Assim como fortalecer a musculatura, aquecê-la antes dos treinos também é importante. Uma forma de estabilização e aquecimento dos ombros é empurrar a parede na posição vertical, como uma flexão de braço. Esse exercício pode evoluir na duração e no número de séries. Em uma progressão, o aquecimento pode ser feito na posição horizontal e também evoluir na duração e no número de repetições.  A próxima etapa seria realizar uma série: o exercício contra resistências que vão se tornando mais instáveis e por último em uma superfície elástica.

 

Alexsandra Winkler

Fisioterapeuta - Crefito: 45475-F