Sem dor, sem recompensa

18/08/2016

Facebook Twitter

Com o término da maratona aquática no ultimo dia 16 de agosto, também se encerrou a participação da SWIM CHANNEL na cobertura dos Jogos Olímpicos do Rio-2016.  Consigo enxergar claramente a expressão de cansaço em todo o time de jornalistas e não me vem outra frase na cabeça do que a tradicional: ressaca olímpica.

Foram 15 dias de convivência na cidade maravilhosa, constatando que durante o período dos oito dias de natação e dois de maratonas aquáticas, foram computados em média somente três horas de sono por dia.  Além do trabalho com a SWIM CHANNEL, trabalhei como comentarista da Band em todas as etapas e o mesmo aconteceu como o nosso redator Daniel Takata, que atuou todo os dias no SporTV e nossa repórter Mayra Siqueria com a Rádio CBN.

A equipe se alternava, e conseguíamos ficar 24 horas no ar. O mais pesado sem dúvida era o horário noturno. As finais aconteciam entre as 22h as 0h. Neste momento Guilherme Freitas (jornalista sênior da SWIM CHANNEL) ficava com o blog e com nosso Facebook, e Andre Matheus (diretor comercial) ficava responsável pelo Instagram e pela cobertura das coletivas de imprensa.

Ao término de cada etapa, finalizava meu trabalho com a Band e na sequência ia para a piscina gravar o nosso novo “produto”: o SWIM CHANNEL TV, programa de natação para a internet. Os quatro jornalistas fizeram parte do programa que foi dirigido por André Matheus. O arquivo era enviado para nosso editor de vídeo Thiago Tognozzi, que editava o material entre as 3h e 5h da manhã. Ao mesmo tempo nosso diretor de arte, Klaus Bernhoeft e sua equipe, produzia o e-mail mkt com as principais notícias do dia. Andrea Sugimoto, nossa gerente de varejo, veio nos socorrer e disparava o e-mail mkt diariamente sempre no horário noturno. Logo após o término da produção do programa de TV, eu ainda produzia o boletim de Rádio SWIM CHANNEL, sempre a ser veiculado no dia seguinte na Rádio Bradesco Esportes FM.

A equipe Swim Channel posa na raia 8 antes de Chierighini nadar a final dos 100m livre

A equipe Swim Channel posa na raia 8 antes de Chierighini nadar a final dos 100m livre

Toda esta força tarefa tinha o intuito de formatar uma cobertura completa sobre a natação olímpica, exatamente às 8 da manhã do dia seguinte onde o leitor confortavelmente consumia as notícias com detalhes sobre a noite anterior. Nossos colunistas, Coach Alex Pussieldi e Luiz Lima estiveram todos fulltime a postos para todas as informações e notícias de última hora.

Sempre éramos os últimos a sair da piscina e eu sentia orgulho disso. Na sequência muita caminhada, jantar, e até chegar a nossa base no Rio de Janeiro já eram quase 5h da manhã. No dia seguinte com todas notícias no ar, acordávamos por volta das 8h da manhã para analisar todos os canais da SWIM CHANNEL e na sequência precisamos estar no Parque Olímpico antes do meio dia para o início das eliminatórias da natação. Entre eliminatórias e finais, um pouco com cara de “zumbi” cada jornalista tentava se acomodar em alguma poltrona do centro de impressa.

Depois do segundo dia, parece que entramos na rotina e tudo fluiu. Os resultados foram recordes de audiência, chegando por diversas vezes a atingir mais de 200 mil pessoas nas redes sociais (geralmente quando Michael Phelps estava na água), vídeos com mais de 35 mil visualizações, sem mencionar que a edição olímpica impressa da SWIM CHANNEL era alvo de consulta de todas as TVs oficias das olimpíadas: Globo, Band, Record, SporTV, ESPN Brasil e Fox Sports.

Não tem como não agradecer a Mormaii, a marca esportiva que abraçou o projeto de cobertura olímpica 24 horas por dia e foi nossa patrocinadora neste intenso período, assumindo todos os custos necessários.

Os Jogos Olímpicos já começam a deixar saudades. Para muitos as braçadas de Phelps, a medalha de Poliana Okimoto, ou a imensa torcida foram os pontos mais épicos. Para mim, eu realmente ficava emocionado era com o fim de cada noite, não consigo transmitir em palavras qual é a real emoção de ser o ultimo a sair da piscina, todos os dias após gravar o programa de TV em frente a raia 4.

A sensação era de que eu era o produtor do evento, e estava fechando o palco. Foram todos os dias sendo o último jornalista a sair da piscina, um momento de reflexão que levava apenas cerca de segundos, olhando para a transparência das águas, seus belos blocos de partida, raias novas e coloridas e uma gigantesca arquibancada  vazia, e mesmo exausto, com dores de cabeças e nas pernas, eu agradecia ao céus por este momento. Lembranças que já são eternas.

Por Patrick Winkler

A equipe Swim Channel na cobertura dos Jogos Rio 2016 é patrocinada pela Mormaii, a maior marca de esportes aquáticos do Brasil

Tags

Jogos Olímpicos Mormaii Rio-2016 Swim Channel