Show de Chierighini e revezamento definido

Velocista rompe a barreira dos 48 segundos nos 100m livre em grande performance; equipe para o Mundial e Pan é conhecida

19/04/2019 - Guilherme Freitas

Facebook Twitter
Revezamento 4x100m livre - Foto:  Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Marcelo Chierighini - Foto:  Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Marcelo Chierighini - Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Revezamento 4x100m livre - Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Depois de bater na trave em vários momentos de sua carreira, Marcelo Chierighini finalmente rompeu a barreira dos 48 segundos nos 100m livre. Na final da prova válida pelo Troféu Brasil-Maria Lenk, o velocista do Pinheiros fez uma prova perfeita para vencer a acirrada disputa e cravar 47s68. Nadando na raia 4, Chierighini saiu forte passando na frente com expressivos 22s49. Conseguiu segurar a volta e soube controlar o ataque de Breno Correia nos metros finais para bater na frente e vencer. Ao olhar para o placar e ver os 47s68, terceira melhor marca do mundo este ano, não se conteve e explodiu em êxtase na piscina.

Uma vitória incontestável do nadador mais regular do país nesta distância há pelos dois ciclos olímpicos. Desde 2013 Chierighini sempre está nas finais dos 100m livre nos principais eventos. Foi sexto colocado no Mundial de Barcelona-2013, quinto colocado em Kazan-2015 e novamente quinto colocado em Budapeste-2017, além do oitavo lugar nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e da medalha de bronze nos Jogos Pan-Americanos de Toronto. Faltava romper a barreira dos 48. Agora não falta mais.

Revezamento 4x100m livre – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Quem quase lhe fez companhia no clube dos 47 foi Breno Correia. O jovem nadador vive uma fase mágica e por apenas 11 centésimos não entrou para o seleto grupo de velocistas que já romperam essa barreira. Seu tempo de 48s11 é o melhor de sua vida e também lhe dá direito de nadar a prova individual no Mundial e no Pan-Americano. Mais uma vez ele repetiu a estratégia, de crescer sempre na metade final da prova e com 24s74 teve mais uma vez a melhor segunda parcial de todos os finalistas.

A eles se juntam Pedro Spajari e Gabriel Santos, seus colegas de clube e treino. Os dois também se garantiram no Mundial e no Pan-Americano fazendo parte do revezamento 4x100m livre brasileiro. Spajari terminou em terceiro lugar com 48s34 e Gabriel veio logo em seguida com 48s53. Festa do Pinheiros e do técnico Alberto Pinto, responsável pelo treinamento do quarteto de velocistas. Um trunfo que será bastante importante para a seleção, afinal os quatro poderão afiar ainda mais o entrosamento nos treinamentos na piscina do clube paulista.

Marcelo Chierighini – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Na prova feminina o Parque Aquático Maria Lenk assistiu a terceira vitória de Mallory Comerford no evento. A americana agora venceu os 100m livre, estando sempre na liderança e não deixando que suas adversárias mais próximas se aproximassem para lhe tomar a ponta. No fim triunfou com 53s33, a única na casa dos 53 segundos. Etiene Medeiros foi a melhor brasileira na prova ao faturar a medalha de prata com 54s48 e Larissa Oliveira foi bronze com 54s59.

Outras duas provas na categoria feminina também tiveram vitórias de estrangeiras. Nos 1500m livre Delfina Pignatiello não deu chance alguma para suas adversárias brasileiras. A argentina construiu uma larga vantagem a cada virada e não teve problemas em vencer pela segunda vez no Troféu Brasil-Maria Lenk agora com 16min15s20. Viviane Jungblut foi a melhor brasileira, mas terminou em um distante segundo lugar com 16min30s00. Ana Marcela Cunha levou a medalha de bronze com 16min38s05, repetindo o mesmo pódio dos 800m livre.

Delfina Pignatiello – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

A situação foi ainda pior para a natação feminina nos 400m medley. As quatro primeiras colocadas eram atletas nascidas fora do país. A italiana Ilaria Cusinato dominou a prova a partir da parcial do nado costas e venceu com 4min40s57. A prata foi da tcheca Barbara Zavadova que nadou para 4min43s27 e o bronze ficou com a argentina, radicada no pais, Florência Perotti com 4min44s68, superando sua compatriota Virginia Bardach que marcou 4min47s86. Fernanda Goeij foi a melhor brasileira com 4min51s10, quase 11 segundos atrás da campeã Cusinato e quase sete segundos atrás da medalhista de bronze Florência. Sinal amarelo acesso.

Já na prova masculina só deu Brandonn Almeida. Cada vez mais o nadador brasileiro vem sobrando nesta prova em território nacional. Medalhista no último Mundial de piscina curta, ele não deu chances para os adversários e nadando fácil fez um ótimo tempo: 4min13s69, confirmando sua boa fase. Leonardo Santos ficou com a prata ao nadar para 4min17s98 e Icaro Pereira faturou o bronze com 4min20s66.

Brandonn Almeida – Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

As provas do revezamento 4x200m livre encerraram o dia e no embate entre Minas TC e Pinheiros uma vitória para cada lado. Os mineiros levaram a prova feminina com o quarteto Maria Paula Heitmann, Mallory Comerford, Camila Mello e Aline Rodrigues nadando para 8min04s52. Já os paulistas ganharam a versão masculina com Luiz Altamir, Felipe Ribeiro, Leonardo Santos e Breno Correia nadando para 7min09s81, novo recorde de campeonato e apenas dez centésimos acima do recorde sul-americano que pertence a seleção brasileira do Mundial de Roma-2009.

Terminado o terceiro dia de disputas, o Minas TC segue na liderança com 1.200 pontos, mas viu o Pinheiros encostar com 1.060 pontos. Em terceiro lugar segue o Corinthians com 507 pontos ganhos. Os resultados completos do dia podem ser vistos no site da CBDA aqui. O quarto dia de evento terá as provas de 200m borboleta (masculino e feminino), 100m peito (masculino e feminino), 1500m livre (masculino) e revezamento 4x100m livre (masculino e feminino).

Tags

Marcelo Chierighini natacao revezamento 4x100m livre Troféu Brasil Maria Lenk

Guilherme Freitas

Jornalista sênior da SWIM CHANNEL.

Notícias relacionadas